Yama - O Deus dos Mortos e do Submundo

04/10/2019

Yama ou Yamaraja, é o deus dos mortos da mitologia hindu. Os Vedas o descrevem como o primeiro homem que morreu, abrindo caminho para a mortalidade que todos os humanos seguiram desde então. Ele é o guardião do sul (a região da morte) e preside o local de descanso dos mortos, localizado sob a terra. Nos Vedas, Yama foi representado como um rei alegre dos ancestrais que partiram, não como um punidor dos pecados, mas na mitologia posterior ele ficou conhecido como o juiz justo (Dharmaraja), que pesa as ações boas e más dos mortos e determina retribuição.. Ele é descrito como majestoso na aparência, verde ou preto, com olhos vermelhos e roupas vermelhas. Ele carrega um laço e uma maça, que pode ser ornamentada com uma caveira e monta um búfalo. Seus dois cães de quatro olhos guardam a entrada de seu reino, e o corvo e o pombo agem como seus mensageiros.Yama também passou para a mitologia budista no Tibete , China e Japão, onde ocupa um papel semelhante, mas menor, como guardião da morada dos mortos.

Nos primórdios do período védico, o Mundo Inferior era considerado um lugar bastante agradável para as almas dos mortos, mas na posterior mitologia hindu, os deuses da morte, como Kali, eram arautos da desgraça para aqueles que deveriam entrar no temível Mundo Interior de Kalichi e seu governante, Yama.

A deusa hindu da morte é geralmente descrita como uma mulher nua aterrorizante, com a língua sedenta de sangue pendendo para fora da boca. Tinha a carne negra, presas e um colar de crânios. Era ou a personificação de uma das sete línguas de Agni, o deus do fogo, ou, mais frequentemente, a ira de Durga, a consorte de Shiva.

Uma estória conta como Shiva enviou Durga para lutar contra o terrível demônio Raktabija, que tinha o poder de clonar a si mesmo a partir de qualquer gota derramada de seu próprio sangue. Durga também tentou o truque da clonagem, mas o poder do demônio era maior. Ela ficou tão enfurecida que Kali explodiu de sua testa e sorveu todo o sangue do demônio antes que atingisse o solo. Ela ficou tão bêbada com o sangue que começou a bailar a dança cósmica da destruição de Shiva.

No final do período védico, entre 900 e 550 a.e.c., Yama foi o primeiro homem a viver e morrer. Ele também descobriu o caminho que levava os mortos para o Céu, e tornou-se seu governante. Agni, o deus do fogo, podia distinguir o bem e o mal em cada mortal pela cor das chamas da cremação. As cinzas que ficavam representavam o mal, por isso, a alma era transportada para o Céu em uma carruagem dourada para juntar-se ao corpo purificado e viver uma vida desenfreada e feliz no reino de Yama.

Yama passava o tempo bebendo soma e tocando sua flauta. Aquele era um lugar de leveza e música, riso e o paraíso eterno, até a era dos deuses rivais e seus próprios reinos se estabelecerem. Indra e Varuna tinham seus próprios céus, mais sofisticados e, com o tempo, Yama passou a ser associado à escuridão e começou a ser considerado uma figura de terror. Na crença hindu, Yama evoluiu como o governante do Inferno, onde apenas os perversos e maus eram enviados. Ele vive em um lugar proibido chamado Kalichi. Em seu livro do destino, escreve a duração da vida atribuída a cada ser humano, e seu registrador Chandragupta lê em voz alta as virtudes e os pecados dos mortos. A alma pode ser enviada para um de seus vários infernos ou retornar para encarar outra vida na Terra. De acordo com um mito, Shiva acabou espancando Yama até a morte e todos os seres tornaram-se imortais. Mas, como o mundo ficou populoso demais e a vida tornou-se horrível para aqueles que eram bons e virtuosos, os deuses decidiram restaurar Yama, e os mortais perderam sua única chance de imortalidade.


Informações extras

Quem é ele:

  • Dizem que ele é filho de Deus Sun e irmão mais novo do Senhor Shani . (Neelanjana samabhasam raviputram Yama agrajam chaya martanda sambhootam tam namami shaneshwaram)
  • Yama é considerado o pai de Yudhisthira, um dos cinco príncipes Pandu. Suas esposas são Hemamala, Vijaya e Susila.

Fontes: Templo de Apolo, Wikipedia, britannica