Thranduil - Rei do Reino da Floresta

05/06/2018

Thranduil... é um nome em Sindarin que significa "primavera vigorosa", ( e é composto das palavras Tharan ["vigoroso"]  e ethuil ["primavera"]). (Dizia-se que o nome "Thranduil" era de uma linguagem chamada Lemberin [mais tarde chamada de Avarin ou Telerian], juntamente com outros nomes em sindarin como Legolas, Nimrodel e Amroth entre outros). Thranduil aparece pela primeira vez como um personagem no livro "O Hobbit", onde não é chamado pelo nome, ou apresentado. Tolkien se refere a ele como o elfo-rei ou o rei, e também pelos títulos Elvenking e Rei dos Elfos da madeira, ou Rei Élfico da Floresta das Trevas (Elvenking of Mirkwood, no original em inglês). 

O nome Thranduil aparece pela primeira vez em O Senhor dos Anéis , com o título de: Rei dos Elfos do Norte da Floresta das Trevas. Em outro lugar nos escritos de Tolkien, ele também era conhecido como o Rei do reino da floresta , um título que ele herdou de seu pai. Thranduil, dentro do universo de fantasia criado pelo escritor J. R. R. Tolkien, era um elfo sindar (ou elfo cinzento) da classe Teleri, Rei da Floresta das Trevas e dos elfos silvestres. No livro, O Hobbit, ele possui uma participação muito importante na história, inclusive participando da Batalha dos Cinco Exércitos. O personagem também é referido em O Senhor dos Anéis, em Contos Inacabados e O Silmarillion. É pai do princípe Legolas, seu (aparentemente) único filho, outro importante elfo dentro da obra de Tolkien, integrante da Sociedade do Anel. Thranduil é ainda filho de Oropher, um dos mais antigos elfos Sindar de Doriath. Embora a data e local do nascimento de Thranduil não esteja em algum registro, ele pode ter nascido na cidade de Beleriand, durante a Primeira Era da Terra-média. Após o fim da Primeira Era e a destruição de grande parte da cidade de Beleriand durante um dos eventos mais épicos, e infernais, chamado a Guerra da Ira muitos elfos (Sindar) migraram para o leste da Terra-média. 

Atravessar as Montanhas Sombrias , encontraram-se com populações de elfos que viviam nas florestas que margeavam o rio Anduin . sendo então recebidos por essas pessoas, que fizeram alguns deles de príncipes sobre elas. Entre eles estava o pai de Thranduil Oropher, o Grande, cujo reino incluiu as parcelas do sul da floresta de Greenwood, que foi mais tarde conhecida como Floresta das Trevas . Diz-se que os elfos silvestres eram vigorosos e valentes, mas mal equipados em equipamentos de batalha como couraças e armas, em comparação com seus parentes, eldar do Oeste. Porém apesar de suas deficiências bélicas eles eram orgulhoso e independentes, e não estiveram dispostos a se submeter ao comando supremo do Grande rei dos Noldor: Gil-Galad. Apesar disso, no final da Segunda Era. Os elfos da Floresta das Trevas rumaram juntos com os homens e os demais Elfos (Noldor) para uma batalha árdua e Sombria. Thranduil marchou com seu pai e um grande exército de seu povo para se juntar a Última Aliança de Elfos e Homens, em sua guerra contra Sauron. Os elfos silvestres sofreram perdas graves, incluindo O Rei Oropher que foi morto na Batalha de Dagorlad diante do Portão Negro de Mordor

Então, Depois da guerra, Thranduil agora rei de seu povo, levou os restos de seu exército, (apenas um terço dos que haviam partido para juntar-se a guerra) de volta à sua casa na floresta. Durante a Terceira Era o povo de Thranduil migrou para o norte na floresta, especialmente depois do ano 1000, quando uma sombra maligna, sorrateiramente descia sobre a floresta (a mesma que se estenderia sobre toda a Terra-Média, vinda da influência de Sauron). O povo de Thranduil acabou por se instalar no Nordeste de Mirkwood, além do Rio Forest. Ali eles conseguiram segurar o mal que emana da temida fortaleza de Dol Guldur na baía e viveram suas vidas em uma forma de paz, guardando tanto a floresta quanto os grandes salões subterrâneos que eles construíram. Uma análise mais profunda de "O Hobbit", revela um prisma mais ambicioso, e vaidoso de Thranduil, em um misto de glória vinda da nobreza e "glamour" por ser quem é, e sem dúvida um ego que é em muitos momentos inflamado e arrogante, ainda que numa observação mais ampla perceba-se que a arrogância não seja a força motriz do rei elfo, mas sim sua capacidade,seu orgulho, força e independência.

Fontes: Encyclopedia of Arda, The Thain's Book, Tolkien Gateway, Valinor