Ran - A Rainha dos Mares

20/07/2018

O mar, chamado pelos nórdicos de "caminho de Ran", era regido pelo casal de deuses, Aegir e Ran, pais das nove Donzelas das Ondas. Apesar de Ran ser citada nos poemas como fazendo parte das deusas Asynjur, há poucas referências sobre ela nos mitos. Ran era considerada a regente do mar e padroeira dos afogados, que ela recolhia com uma rede mágica e os levava para o seu reino no fundo do mar, para além dos redemoinhos do mar do Norte. Ela tratava bem os mortos, desde que levassem consigo ouro, por isso os marinheiros e viajantes colocavam nos seus bolsos, antes de viajar, moedas ou pepitas de ouro, garantindo assim a boa acolhida nos salões de Ran. As famílias acreditavam que, se vissem os fantasmas dos parentes afogados nos seus sepultamentos, isso significava que eles estavam bem cuidados no palácio escuro, mas faustoso de Ran, tendo dela recebido a permissão de comparecer nos enterros, como uma despedida final.

Ran tambem era rainha das ondinas e sereias, que se aproximavam nos meses frios de inverno das fogueiras dos acampamentos dos pescadores, tendo assumido corpos e trajes femininos. Seduzidos pelos seus encantos e beleza, os homens se apaixonavam, mas, apos fazerem amor com eles, as sereias desapareciam e os seus admiradores adoeciam de tristeza e saudade, definhando até morrer. Os oceanos de Ran cercavam os continentes de Midgard, seu palácio forrado de ouro ficando entre corais, peixes e animais no fundo do mar.

Ran era descrita como uma mulher bonita, sedutora e forte, com cabelos de algas marinhas, roupas enfeitadas com corais e conchas, segurando com uma das mãos o leme do barco e na outra, a sua rede mágica, para recolher afogados e tesouros dos navios afundados. Conhecida pelo seu poder mágico e profético, além do talento musical, Ran era a protetora das moças, mulheres solteiras e viuvas dos afogados. Ran era semelhante à deusa Hel, ambas sendo regentes da morte e tendo seus domínios abaixo de Midgard - Ran no reino aquático e Hel no mundo subterrâneo. Ran buscava as vítimas pegando-as com a rede, enquanto Hel esperava tranquila que elas aparecessem.

A rede mágica de Ran foi citada no mito de Loki, tendo sido usada para a sua captura pelos deuses. No mito de Ragnarök, após a devastação final pelo fogo, Midgard irá mergulhar lentamente no reino frio e escuro de Ran, para dele emergir - após a sua purificação e transmutação - renovado e devidamente preparado para um novo ciclo de evolução.




Fontes: Templo de Apolo.net, Norse Mythology, FAUR,Mirella.O princípio feminino - As deusas e seus mitos.in:__________.Ragnarok:O crepúsculo dos deuses.São Paulo/SP:Cultrix,2011.Cap. 5.p.271-272. Foto, Legends of Cryptids