Os Deuses Egípcios de Yu-Gi-Oh

23/10/2019

Os deuses egípcios são três cards super-raros que foram introduzidos na franquia clássica de Yu-Gi-Oh!, mais especificamente, na saga da batalha da cidade. Seus poderes são surreais e podem trazer devastadores, além disso, cada um possui uma habilidade e efeito distinto.  As aparências dessas bestas fazem jus à sua fama, ou seja, assemelham-se com verdadeiros monstros amedrontadores. Os integrantes desse renomado grupo de cartas são bem conhecidos, porém, para quem não sabe, vale a pena relembrar, são eles: Obelisco, o Atormentador, Slifer, o Dragão do Céu e O Dragão Alado de Rá.

Antigamente, essas feras guardavam seus espíritos dentro de pedras para, quando fosse necessário, lutarem ao lado do faraó; posteriormente, Maximilion Pegasus, criador do jogo e dono das Ilusões Industriais, descobriu sobre seus segredos e trouxe-as ao mundo moderno - quase desencadeando a destruição dele. Elas foram impressas em cartas e passaram por algumas mãos antes de retornarem para as daquele que era seu dono por direito, Atem, o faraó. Dentro do "Trading Card Game" de Yu-Gi-Oh!, para quem não sabe, há uma hierarquia divina, ou seja, níveis entre as divindades na qual, de 1 (um) a 3 (três), os deuses egípcios estão catalogados, sendo que Obelisco está no primeiro nível; Slifer e Rá no segundo, e em terceiro, reinando absoluto, encontramos Horakhty, "O Deus Criador" da Luz.


Mito Egípcio

Obeslico - O Atormentador

A vinda desta criatura poderosa será anunciada por ventos ardentes e pelo tremor da terra. E com a chegada deste horror, aqueles que ainda respiram conhecerão o verdadeiro significado do sono eterno.


Segundo a crença e mitologia egípcia, Obelisco é uma estrutura pontiaguda que fica em posição de 90° (noventa graus), uma breve homenagem à soberania das entidades dessa cultura. Seus tamanhos são bem elevados e eles eram usados como objetos de adoração aos deuses, enfeitando seus templos e guardando escritos antigos, os quais foram importantíssimos no entendimento dos mistérios do Egito. Contudo, tendo em vista que Obelisco, de Yu-Gi-Oh!, é um ser vivo e não uma estrutura, a origem do monstro do jogo de cartas torna-se um pouco incerta, porém, há quem diga que ele seja uma versão mais ameaçadora do deus Geb, divindade da terra. Ou então pode ser o deus do envelhecimento, do tempo e da impermanência (o que representaria como um obelisco se deteriora com o passar do tempo). Apesar de todas essas divergências quanto à origem dele, podemos afirmar que, por tamanha semelhança às rochas, sua inspiração de criação provenha mesmo dos artefatos religiosos, pois eles são altos e pontiagudos, assim como Obelisco é gigantesco e apresenta elevações afiadas por todo o corpo.


Slifer, O Dragão do Céu (Ou Dragão Celestial de Osiris, no original em japonês)

Os céus se turvam e os trovões rugem, anunciando a vinda desta criatura antiga, e a alvorada do verdadeiro poder.

Como mencionado em seu nome original, Slifer é inspirado no deus egípcio Osiris. A aparência de Slifer é tão amedrontadora quanto seu próprio poder, em virtude do seu tamanho e traços, os quais nos revelam uma criatura magnífica e imponente. O ser é a maior divindade no quesito tamanho, pois já chegou a dar voltas inteiras em um dirigível e em seus adversários, como foi quando batalhou contra Obelisco e Rá. Graças à sua aparência, ele se assemelha muito com um dragão oriental - os quais detêm um físico serpentinoso. A característica mais peculiar em Slifer, sem dúvida alguma, é as duas bocas, que são responsáveis por obliterar e enfraquecer os oponentes. As cores predominantes nele são o vermelho e o preto, sendo que a primeira compreende toda a extensão de cima do seu físico; já a segunda, nos músculos que ficam embaixo de seu corpo. Na cabeça, podemos destacar os muitos chifres pontiagudos, as bocas repletas de dentes superafiados - com ressalva às enormes presas logo no começo da primeira e à língua em cor azulada -, os olhos em tom amarelo e, também, a joia azul, detalhe característico dele e dos demais deuses. Slifer é detentor de um enorme par de asas, as quais compreendem pontas ósseas bem destacadas, aliás, essa marca é presente em toda a extensão das costas do dragão. Suas garras são semelhantes às navalhas, além disso, naquilo que seria a região do seu peito, podemos ver algo parecido com duas facas.


O Dragão Alado de Rá 

Os espíritos cantam sobre uma poderosa criatura que reina sobre tudo o que é místico.

O Dragão Alado de Rá, obviamente é inspirado no deus egípcio Rá. Em sua aparência podemos ver traços semelhantes as aves, especialmente por suas asas e cabeça, porém, ele não deixa de deter uma aparência amedrontadora. Com uma cor dourada em destaque, a grande criatura possui garras bem grandes, uma longa cauda, placas metálicas espalhadas por todo corpo, além de dentes super afiados; por fim, ele tem uma ponta no topo da cabeça, o que se assemelha com um chifre, além da joia azul que fica no meio de sua testa. Ele também tem um gigantesco par de asas, as quais podem cobri-lo por inteiro, esses atributos compõem sua belíssima e temida aparência. Rá era dono de um amedrontador olhar, o qual foi salientado por seus olhos vermelhos profundos, ademais, por conta de seu físico e de algumas partes que têm semelhanças às máquinas, poderíamos caracterizá-lo como um enorme pássaro metálico. Ele é o considerado o deus egípcio mais forte entre as 3 cartas.


Horakhty, O Criador da Luz/ A fusão Verdadeira.

Horakhty é uma mulher gigantesca com sua armadura banhada a ouro. Seu brilho representava todo seu poder de luz, ela é a fusão dos três deuses egípcios, Obelisco, Slifer e o Dragão Alado de Rá.

Na mitologia egípcia Horakthy era a fusão de Rá com Hórus. Hórus era um deus do céu e Rá era o deus do sol. Assim, Ra-Horakhty era considerado o deus do sol nascente.

Em Yu-Gi-Oh, o sentido é o mesmo, pois o Slifer é um deus que representa o céu e O Dragão Alado de Rá é um Deus que representa o sol. 

Horakhty: Significa "Hórus do Horizonte". Este nome refere-se à sua ascensão ao amanhecer de cada dia no leste para contemplar o seu domínio. Em alguns lugares, o Nome Horakthy também é um título para manifestar onipresença e poder absoluto. Para os egípcios, Horakthy podia ser visto no céu por todas as pessoas do Egito.

Em Yu-Gi-Oh, quem invoca Horakhty, automaticamente vence o duelo, o que é a melhor forma de retratar seu poder absoluto.

Fontes: wikipedia, aminoapps, antigoegito, ancientegypt, godkingcenario, yugiohwikia