Os Cenobitas - Hellraiser

02/05/2020

Os Cenobitas são monstros que aparecem em alguns dos trabalhos do autor britânico Clive Barker, especialmente no livro The Hellbound Heart e nos filmes da série Hellraiser. Eles também são mencionados no livro Weaveworld, no qual a personagem Immacolata os chama de "Os Cirurgiões do Além". Algumas vezes eles são chamados de demônios, mas os trabalhos de Barker sugerem que eles são seres bem distintos do que se costuma chamar de "demônio".

Termo

O termo "cenobita" é uma palavra em Latim arcaico que significa "membro de uma comunidade religiosa". De fato, o livro The Hellbound Heart menciona os Cenobitas como sendo "Teólogos da Ordem de Gash"; eles também são conhecidos pelo termo "Hierofante". Como seres extra-dimensionais, eles conseguem alcançar nossa realidade apenas através de brechas no espaço-tempo feitas por determinados artefatos místicos. O mais comum desses artefatos é um cubo de partes móveis conhecido como a Configuração do Lamento.

Origem e descrição

A manipulação de uma configuração altera os desenhos na superfície exterior. Essas alterações tem por efeito abrir um portal dimensional entre a nossa realidade e uma dimensão associada ao Inferno. Os cenobitas, seres que habitam esta dimensão, são atraídos quando um portal é aberto e imediatamente um a quatro deles se apresentam para confrontar o responsável pela abertura do portal. A função principal dos cenobitas é escoltar o indivíduo para a dimensão infernal onde ele será submetido a todo tipo de tortura e perversidade concebível. O ritual é conhecido como Transcender a Carne e pode se prolongar por meses, já que a habilidade dos cenobitas em tortura é legendária.


Há controvérsia a respeito da origem dos cenobitas. A maioria dos ocultistas acreditam que eles foram criados por Leviathan, a entidade que moldou a dimensão infernal e que a controla. O raro tomo Caenobium explica que Leviathan seleciona humanos previamente submetidos a tortura e os transforma em Cenobitas quando estes demonstram vocação para abraçar a servitude pela eternidade. Um cenobita é modificado de tal forma que sua mente se torna incapaz de recordar seu passado e tudo o que o move é o desejo de agradar seu mestre. 

A aparência dos cenobitas pode variar enormemente e atende apenas ao padrão definido por Leviathan no momento da criação. Muitas vezes a criatura mantém algum tipo de vínculo bizarro com sua vida pregressa. Um cenobita criado a partir de um humano que em vida foi um médico pode ressurgir como uma horrenda paródia desse tipo de profissional com dedos de bisturi, máscara e avental cirúrgico.


Não se sabe ao certo se os cenobitas estão realmente vivos ou se eles não passam de uma força que habita seus corpos brutalmente mutilados. A pele deles é pálida, fria e cadavérica, esticada sobre os ossos até o ponto de se rasgar, costurada por linhas e correntes. Seus trajes são feitos de couro escuro, mas em alguns casos eles aparecem nus deixando ainda mais evidente as brutais cicatrizes, feridas e escarificações que carregam na carne com distinção. Cada cenobita é especialista nas formas mais brutais e diabólicas de torturas conhecidas pelo homem e eles aperfeiçoam esse "talento" ao ponto de convertê-la em uma arte. Para auxiliá-los em seu ofício, carregam ferramentas de aspecto medonho, correntes, ganchos e armas extremamente afiadas que prendem nos seus cintos ou que levam em suas mãos.

Alguns cenobitas são incrivelmente ardilosos, eles são capazes de seduzir, persuadir e manipular as pessoas através de jogos de palavras e acordos. Em última análise aqueles que aceitam barganhar com um cenobita acaba irremediavelmente condenado e no processo leva consigo vários inocentes.

O número total de cenobitas à serviço de Leviathan é desconhecido, alguns são mais proeminentes do que outros, existindo uma hierarquia. O Caenobiun menciona que os cenobitas fazem parte de algo chamado "ordem do ferimento", um tipo de sociedade que os congrega na adoração ao seu senhor Leviathan. Dentre os cenobitas proeminentes nessa hierarquia um deles é citado várias vezes e sua função se assemelha a de um hierophanta. Ele é o Pinhead, conhecido como "a ferida que nunca sara" ou "O Sacerdote do Inferno", esse ser tem a face adornada por pregos cravados até o crânio. 

Como mencionado antes, em um ponto da série, é revelado que alguns Cenobitas, como o próprio Pinhead, já foram humanos que certa vez desvendaram o segredo do cubo maldito, sendo então "recrutados" para servir Leviatã. Angelique foi a primeira cenobita, criada por dois ocultistas. Inicialmente ela era uma prostituta que foi aliciada no castelo dos ocultistas que criaram um ritual para transformá-la em cenobita com aparência humana. Isso foi visto em Hellraiser - A Herança Maldita.

Configuração do Lamento

Para chamar os Cenobitas para nosso mundo, o invocador precisa estar em posse da Caixa de Lemarchand, também conhecida como Configuração do Lamento. Trata-se de uma espécie de cubo mágico, criada originalmente pelo artesão Philip Lemarchand, que após anos produzindo maravilhas mecânicas, passou a se debruçar sobre o ocultismo.

A caixa serve como um portal e uma chave para o inferno. Para abri-la, basta resolver o enigma, e logo o usuário começa a escutar um badalar, que provém do Monastério dos Cenobitas no inferno. Com isso, eles vêm à Terra, geralmente acompanhados, e partem para realizar o desejo de seus convocadores - embora, nem sempre da maneira que eles pensam.

Poderes

Cada Cenobita parece ter habilidades únicas, mas algumas delas parecem ser comuns a todos. Quando invocados, eles parecem ser capazes de decidir exatamente onde, quando e por quais meios aparecer. No primeiro Hellraiser, os Cenobitas aparecem imediatamente no quarto de hospital onde Kirsty os chamou. Mais tarde, eles se materializam a partir da escuridão do sótão para onde ela os guia. Em Hellbound: Hellraiser II, quando a configuração é solucionada, as paredes do escritório se transformam nas paredes do Labirinto, deslocando-se para os lados para que eles passem. 

Todos parecem ter capacidades telecinéticas, capazes de controlar seus característicos ganchos e correntes a distância, assim como pequenos objetos. Embora isso nunca tenha sido confirmado, eles parecem ser capazes de invocar suas correntes de qualquer aglomeração de sombras próxima.. Todos eles parecem possuir grande força, incomparável resistência, e alguma forma de empatia bizarra (eles sempre sabem o nome de seus interlocutores, assim como fatos íntimos sobre suas vítimas). Eles também são inteligentes, lógicos e pacientes.

Habilidades individuais variam muito. Nos dois primeiros filmes, havia pouca diferença entre eles até o Dr. Channard ser possuído por Leviatã, apresentando uma série de poderes jamais vistos, como gerar tentáculos e armas a partir de seu corpo. Entretanto, Channard estava funcionando como avatar do próprio Leviatã, assim, seus poderes parecem representar a natureza do Labirinto, ao invés das capacidades típicas de um Cenobita. 

Quando, no terceiro filme da série, Hellraiser III: Inferno na Terra, Pinhead é separado de sua metade humana, seus poderes crescem até níveis quase divinos. Sua metade humana sugere que, uma vez que ele foi dividido, Pinhead não precisa mais obedecer as diretrizes que governam os Cenobitas, tornando-se um deus. No terceiro filme, Pinhead pode controlar telecineticamente vastas áreas, transmutar matéria, criar e controlar o fogo, animar objetos, além de conseguir criar instantaneamente "pseudo-cenobitas", monstros sem mente que obedecem cegamente a ele. Provavelmente, essas são capacidades que todos os Cenobitas exibiriam quando livres das restrições impostas pelo Labirinto, sugerindo que são seres de grandes poderes.

Leviathan

Leviathan, o senhor da dimensão infernal é um deus geométrico que se assemelha a uma colossal estrutura metálica em forma de losango.

Essa entidade flutua no centro de um interminável labirinto construído com tijolos, girando sobre sua própria base a medida que emite feixes de luz negra. Leviathan pode ser visto de todos os pontos da dimensão infernal e sua presença lembra a de um farol guiando as pessoas até sua posição. 

Mais do que uma criatura viva, Leviathan é um deus conceitual e abstrato, uma força que expressa os desejos humanos de experimentar prazeres e evitar o sofrimento. Leviathan perverte esses conceitos fundindo dor e prazer em uma mesma sensação. O Caenobiun sustenta que Leviathan se alimenta do sofrimento humano e que canaliza essas sensações a fim de manter a coesão e expandir os seus domínios.

A Mitologia de Hellraiser encontra os Mythos de Cthulhu

Um dos principais problemas de relacionar o universo de Hellraiser com os Mythos diz respeito a idéia que as forças cósmicas do Mythos não se importam com a humanidade. Os humanos nada mais são do que uma forma de vida menor e transitória cuja importância é praticamente nula.

Lovecraft definiu muito bem o conceito que a humanidade não representa nada diante das forças esmagadoras do universo. Seres como Azathoth, Shub-Niggurath, Yog-Sothoth são criaturas que representam conceitos cósmicos como entropia, vida e tempo. Não há como mensurar o distanciamento entre estes seres e a humanidade, seria o mesmo que comparar uma metrópole com um colônia de ácaros.

Leviathan tem todos os requisitos para ser compreendido como um Deus Exterior. Ele detém uma força notável e rege um conceito bem definido, os estímulos sensoriais sejam de prazer ou de dor. Ele também é servido por uma raça, venerado como uma divindade, controla inteirmanete uma dimensão... todos esses quesitos se encaixam no profile de um deus exterior.

O que não encaixa é o fato dele não apenas se importar com a humanidade, mas necessitar dela. Sem a humanidade, Leviathan não seria capaz de sustentar a dimensão infernal. Leviathan portanto tem um vínculo quase simbiótico estabelecido com uma raça menor sem a qual sua existência estaria comprometida.

É possível no entanto imaginar alternativas para isso. É possível inferir que Leviathan não é inteiramente dependente de humanos, mas o elo entre eles parece mais sólido que o da maioria dos outros deuses. Mesmo Shub-Niggurath uma entidade que representa o ciclo vida-crescimento-reprodução-morte, independe da raça humana pois se refere a tudo no cosmo que experimenta esse ciclo. Nós podemos então supor que Leviathan seja uma divindade que se manifesta para outras espécies no universo, representando para elas o mesmo ethos. Talvez os 

Mi-go ou os Yithians tenham seu equivalente a Leviathan.
Também é possível que Leviathan seja a manifestação de um Deus Exterior, um avatar. Nesse caso fica a questão: "qual deus poderia se converter em Leviathan?

Daoloth parece ser uma boa opção, não apenas pelo seu aspecto geométrico, mas pelas implicações de que ele é o Deus das Fronteiras e Dimensões. Outra opção é pensar em Yog-Sothoth como a verdadeira face de Leviathan, uma força que rege as passagens, os portais e os caminhos, bem como o espaço e tempo.