Níðhöggr- O Dragão do Submundo

08/06/2018

Níðhöggr, Nidhogg ou Nidogue, cujo nome significa "devorador de cadáveres", é o enorme dragão que vive em Niflheimo reino do gelo e do frio na mitologia nórdica ou mundo inferior nórdico.

Ele rói as raízes mais fundas da árvore do mundo: Yggdrasil, que representa o eixo do mundo, com o objetivo de destruí-la, aguardando o Ragnarök, ou se preferir o apocalipse onde uma série de eventos futuros, incluindo uma grande batalha anunciada que resultaria na morte dos deuses e a ocorrência de vários desastres naturais e a submersão subsequente do mundo em água. Depois, o mundo ressurgiria de novo e fértil, os sobreviventes e os deuses renascidos se reuniriam e o mundo seria repovoado por dois sobreviventes humanos..

Niðhöggr se alimenta de corpos mortos e no Ragnarök ele acenderá à Midgard, o reino dos humanos, levando os corpos dos mortos para batalhar. Após o fim do mundo e o renascimento do novo mundo, Niðhöggr continuaria a viver para balancear o bem, tendo um equilíbrio perfeito entre bem e mal; alguns veem isso como um reflexo da cultura cristã na época em que a Edda em Prosa (manual de poemas onde está registrado toda a história da mitologia Nórdica)foi escrita, que vê constantemente o mundo dividido entre bem e mal. 

Na Yggdrasil, também há uma águia, esse é Hraesvelgr um gigante que pode se transformar em águia, e um esquilo antropomórfico chamado Ratatosk. É o esquilo que alimenta a troca de insultos entre Nidhogg, nas raízes da árvore, e a águia, no topo dos galhos.

De acordo com o Gylfaginning (são textos que tratam da criação e da destruição do mundo dos deuses nórdicos e muitos outros aspectos da mitologia nórdica.), parte da Prose Edda de Snorri Sturluson's, Níðhöggr ou "Nidhogg Nagar" é um ser que rói uma das raízes da árvore mundo Yggdrasil. É muitas vezes acreditado que são as raízes que bloqueiam Nidhoggr do mundo. Essa raíz se localiza sobre Niflheim e Níðhöggr a rói por debaixo. A mesma fonte também diz "o esquilo chamado Ratatosk corre para cima e para baixo da árvore, carregando palavras invejosas entre a águia e o dragão."

A destruição da árvore também é a missão de outros dragões, como Grabak, Grafvolluth, Goin e Moin.

Curiosidades

Tanto na narrativa nórdica quanto nas de origem célticas, o dragão vincula-se a simbolismos de fertilidade. Sendo um animal crônico, fertilizador da terra e habitante dos submundos, nada mais natural para o folclore do que encontrá-lo guardando virgens.

O dragão/serpente é relacionado a fertilidade (portanto, à vida), em outras ocasiões, com a morte. E em outros termos, na mitologia nórdica também podemos perceber uma ambivalência no mesmo ser: o dragão pode ser agente da ordem estabilizando o mundo:(Jörmungandr) e do caos (matando o deus Bórr: Jörmungandr).

Fontes : Medo Sensitivo, Mythology & Culture