Konohana Sakuya Hime (木花之開耶姫) - A Deusa do Monte Fuji

06/06/2018

Na mitologia japonesa, Konohana Sakuya Hime é uma divindade terrestre, filha de Ōyamatsumi-no-Mikoto (Deus Regente das Montanhas) e irmã de Iwanaga-hime (Princesa da Rocha Extensa). Seu nome significa "Princesa do Florescimento das Árvores", seu símbolo é a flor de cerejeira que representa a beleza e efemeridade da vida terrena. Também chamada de Sengen-sama, é considerada a Deusa patrona do Monte Fuji. Conta a lenda, que a união da deusa e Ninigi no Mikoto deu origem a casta imperial japonesa.


Konohana Sakuya Hime e Ninigi no Mikoto: A Lendai

Segundo a mitologia japonesa, Ninigi no Mikoto (neto de Amaterasu, a Deusa do Sol), em sua missão para pacificar as terras de "Mizuho no Kuni", teria se apaixonado por Konohana Sakuya, encantado com sua beleza e delicadeza. Pedindo sua mão em casamento para seu pai, Ōyamatsumi no Mikoto (Deus Regente das Montanhas).

Ōyamatsumi ofereceu a mão de sua filha mais velha, Iwanaga (Princesa das Pedras), com o voto de que a vida dos Imperadores seria tão eterna quanto às rochas. Mas Ninigi recusou, pois tinha o seu coração completamente tomado por Sakuya.

O deus terreno, vendo como Ninigi estava determinado a se casar com Konohana, acabou cedendo e concordando em dar sua bênção para a união.

Conta-se que devido à escolha de Ninigi, a vida humana se tornou curta e fugaz, efêmera como as flores de cerejeiras, ao invés de estável e duradoura como as pedras.

Logo após a noite do casamento, Sakuya-Hime engravidou. Ninigi e os outros deuses suspeitavam que a deusa tivesse engravidado de outra divindade.

Konohana ficou indignada e magoada com a acusação, principalmente de seu marido, então para provar sua virtude, entrou em uma cabana e a incendiou. Declarando que se a criança que carregava pertencesse de fato à Ninigi, nenhum mal viria acontecer com ela e o bebê.

Passado um longo tempo, a deusa e mais três crianças emergiram em meio às chamas sem nenhum ferimento. Seus filhos foram nomeados de Hoderi, Hosuseri e Hoori que, segundo a lenda, deram origem a família imperial da Terra do Sol Nascente.


Konohana Sakuya Hime: A Deusa do Monte Fuji

No cimo do Monte Fuji ou Fuji-no-Yama está situado o templo de Sengen-sama. Conta a lenda que nos primórdios, a Deusa escoltada por servos invisíveis aos olhos mortais, pairava em uma nuvem luminosa acima da cratera, atirando em suas profundezas qualquer peregrino que ousasse aproximar-se sem um coração puro.

Hoje, os santuários em homenagem à Konohana são encontrados próximos ao Monte Fuji para pedir por bençãos que também impeçam uma possível erupção.

Originalmente, segundo o Kojiki "Registro de Assuntos Antigos", Konohana era considerada Deusa de todos os vulcões do Japão. Sua devoção e ligação com o Fuji começou entre os séculos XIV e XVI, onde as pessoas começaram a clamá-la, "filha do Deus das montanhas", para protegê-los das erupções mortais, assim como protegeu seus filhos do fogo da cabana.

Todos os anos, no final de agosto, em sua honra é realizado o "Yoshida no Himatsuri" ou também chamado de "Chinka Taisai", que significa "Festival para extinguir o fogo", um tradicional festival em Fujiyoshida, comemorado por mais de 500 anos. É um dos eventos mais importante da temporada turística no Fuji. O festival é baseado na história da deidade reinante da montanha, a deusa que ganhou seu título como protetora daqueles que são ameaçados pelo fogo, após dar a luz à crianças saudáveis em meio ao fogo. As chamas produzidas pelas grandes tochas durante o festival representam o fogo em que Konohana queimou para provar sua inocência.




Fontes : Caçadores de Lendas, Mythology & Culture, História da cultura japonesa; José Yamashiro/ Legends of Japan; F. Hadland Davis.