Helena - A Mulher mais bonita da Grécia

10/07/2018

Quem foi Helena de Troia


Na epopeia Homérica, Helena de Tróia, tem a reputação de mulher mais bela do mundo. Filha de Zeus (porém seu pai de consideração foi Tindaro, com quem sua mãe a criou) e Leda. Era casada com Menelau e tinha como irmãos Clitemnestra, Castor e Pólux (este também era filho de Zeus).

Helena de Tróia é uma personagem lendária cuja história se confunde em parte com a de sua mãe Leda.

Embora venerada em diversas partes do mundo grego, seu culto não adquiriu maior amplitude, apesar de que em Esparta lhe tenham erguido dois santuários, um no interior da própria cidade e outro fora, nos quais era respeitada ao lado de Menelau e diante do qual as jovens espartanas costumavam dançar. Lendas mais recentes atribuíam-lhe uma vida eterna na ilha de Leucádia, onde se tornara esposa de Aquiles.

Ainda menina, Helena foi raptada por Teseu, depois libertada e levada de volta para Esparta por seus irmãos Castor e Pólux (os Dioscuri). Para evitar uma disputa entre os muitos pretendentes, Tíndaro fez com que todos jurassem respeitar a escolha da filha.

Em face dos costumes e instituições gregas que vigoravam na época, essa situação era bastante desconfortável sendo vários os pretendentes, mas apenas um o futuro escolhido, os demais, pela sua condição de príncipes poderosos, poderiam causar sérios transtornos diante da rejeição sofrida. Ulisses, que era um desses pretendentes, aconselhou aos demais que se unissem no juramento de que uma vez definida a escolha do candidato por parte da princesa, os outros retornariam aos seus reinos levando consigo o compromisso de defender o eleito pela noiva contra qualquer um que ousasse atacá-lo ou lhe fizesse afronta grave.

Entre todos, Menelau, rei de Esparta, irmão mais novo de Agamenon, que se casou com a irmã de Helena, Clitemnestra, foi o preferido e o casal viveu feliz durante alguns anos. Entretanto, durante uma ausência de Menelau, o troiano Páris, filho do rei Príamo, foi à Grécia fazer um sacrifício a Apolo. Nessa oportunidade, ele e Helena se viram e se apaixonaram, e por isso Príamo a levou para a sua terra, procedimento que atraiu para Tróia a guerra sanguinolenta abordada na Ilíada, que durou sete anos.

Após a morte de Páris em combate, Helena se casou com seu cunhado Deífobo, a quem traiu, entregando-o a Menelau.

Apesar da infidelidade, a paixão de Menelau perdurou, superando esse e outros transtornos: depois da destruição de Tróia ele se reconciliou com a mulher, reconduziu-a a Esparta e com ela teve uma filha, Hermíone, e um filho, Nicóstrato. Mais tarde, depois da morte de Menelau, seus filhos naturais expulsaram-na e a obrigaram a se refugiar em Rodes, onde Polixo, mulher de Tiepólemo (destemido na guerra), filho de Hércules e Astíoque, para vingar o marido morto na guerra de Tróia, enviou duas servas para a matarem enforcada em uma árvore enquanto ela se banhava.

Mais tarde, na ilha de Rodes, Helena foi adorada sob o nome de Deudritis. Junto à árvore em que ela foi enforcada nasceu uma outra árvore batizada com o nome de keleni-on, formada pelas lágrimas da heroína. Esta planta teria a virtude de restituir a beleza às mulheres.

Numa segunda versão, após a morte de Menelau, Helena se casou com Aquiles e viveu nas ilhas Afortunadas. Helena de Tróia foi adorada como deusa da beleza em Terapne e em diversos outros pontos do mundo grego. Sua lenda foi tomada como tema de grandes poetas da literatura ocidental, desde Homero e Virgílio a Goethe e Giraudoux.


Outra versão para o nascimento de Helena

Muitos poetas a tinham como filha de Nêmesis, a deusa da vingança, considerando Leda apenas como sua mãe adotiva. A divindade Nêmesis era tão bonita e atraente como Afrodite (Vênus), e por isso Zeus (Júpiter), tendo se apaixonado por ela, perseguiu-a incansavelmente com o firme propósito de fazê-la sua. Tentando evitar que isso acontecesse, a deusa metamorfoseou-se de mil maneiras, e em uma delas transformou-se em gansa, mas o deus adotou a forma de cisne e assim conseguiu concretizar seu intento. Como resultado dessa união a deusa colocou um ovo, que foi recolhido por pastores e entregue por eles à Leda. Esta é uma das versões da origem de Helena.






Fonteswww.fernandodannemann.recantodasletras.com.br, Portal São Fransico, Mitologia Helenica, Greek Mythology, Pseudo-Apolodoro