Guan Yin (觀音) - A Deusa da misericórdia e da compaixão

09/06/2018

Kuan Yin, Guan Yin ou Guānyīn (觀音) é considerada pelos chineses como a deusa da misericórdia. Eles acreditam que ela era originalmente do sexo masculino até a primeira parte do século XII e evoluiu desde aquela época de seu protótipo, Avalokiteshvara, "o senhor misericordioso da iluminação total", um bodhisattva indiano que escolheu permanecer na terra para trazer alívio para o sofrimento.

Uma das várias histórias em torno de Guan Yin é que era uma budista que, através de grande amor e sacrifício durante a vida, tinha ganhado o direito de entrar no nirvana após a morte. No entanto, como Avlokiteshvara, enquanto estava diante das portas do Paraíso, ela ouviu um grito de angústia da terra abaixo. Voltando à Terra, renunciou a sua recompensa de bem-aventurança eterna, mas em seu lugar encontrou imortalidade nos corações do sofrimento.

Na China, ela tem muitos nomes e também é conhecida como "grande misericórdia, grande piedade, salvação da miséria, salvação da aflição, auto-existente, mil braços e mil olhos" etc. Além disso, ela é muitas vezes referida como a Deusa dos O Mar do Sul - ou Arquipélago Indiano. E tem sido comparada com a Virgem Maria nas Filipinas, país muito influenciado pelo catolicismo espanhol, onde passou a ganhar aspectos de Madona, embora sejam entidades completamente diferentes. Maria, a Mãe de Jesus, não é a mesma entidade que representa Quan Yin. Em sua forma feminina, Kuan Yin está associada às características femininas da maternidade e proteção, mas na China e em vários países asiáticos de influência chinesa ela está ligada há séculos, e de modo bastante forte, à misericórdia e ao perdão.

Quan Yin é uma forma abreviada de um nome que significa 'aquele que vê e ouve o clamor do mundo humano'. E seu nome para o chinês significa: "Ela que sempre observa ou presta atenção aos sons", que podemos entender como: ela que ouve orações.

Sua popularidade cresceu através dos séculos, e agora é também considerada como a protetora dos marítimos, agricultores e viajantes. Ela cuida de almas no submundo e é invocada durante os rituais pós-enterro para libertar a alma do falecido dos tormentos do purgatório.


Culto a Guan Yin

Há templos em toda a China dedicados a esta deusa, e ela é adorada por mulheres chinesas. Há um costume em algumas regiões do sul da China que quando uma família tem uma filha casada há mais de um ano e ainda não deu à luz um filho do sexo masculino (a forte tradição chinesa), lhe é enviado um presente composto de: uma lanterna de papel com uma imagem da Deusa da Misericórdia, Quan Yin, com uma criança em seus braços, e a inscrição, "Que Quan Yin te apresente um filho", ostras em uma vasilha de barro, bolos de arroz, laranjas e alho, pedindo a deusa, filhos, riqueza e proteção.

Seu principal templo fica na ilha de Putuoshan, no arquipélago de Chusan, na costa de Zhejiang, perto de Ningbo (não muito longe de Shanghai). É um importante local de peregrinação sagrado para os budistas, sendo a adoração de Quan Yin o seu traço mais proeminente devido ao fato dela ter residido lá por nove anos, reinando como a Rainha dos Mares do Sul. Miao Feng Shan (Monte do Pico Maravilhoso) atrai um grande número de peregrinos, que usam chocalhos e fogos de artifício para enfatizar suas orações e atrair sua atenção.

Nenhuma outra figura nos templos chineses, aparece com tanta variedade de imagens, das quais se diz que existem milhares de diferentes encarnações ou manifestações. Mas uma das imagens mais comuns de Quan Yin é de uma mulher descalça e graciosa vestida de belas e brancas vestes flutuantes, com um capuz branco na cabeça e carregando um pequeno vaso de orvalho sagrado.


Fontes :  Anjo de Luz, China na Minha Vida