Enéias - O Herói Troiano

17/01/2019

Enéias era filho de Anquises e Vênus (Afrodite). Primo do rei Príamo de Tróia e líder dos aliados dardânios que auxiliaram a cidade na Guerra de Tróia. Depois da queda desta cidade, ele liderou um grupo de refugiados para a Itália e se tornou fundador da cultura romana (mas não da cidade de Roma em si). Na mitologia ele foi o progenitor da geração que teve origem em seu filho Ascânio. Vírgilio, o famoso poeta romano, o fez protagonista de seu épico, a Eneida.

Tendo seu nome grafado também como Eneas, esse personagem da mitologia greco-romana também teve sua história contada em 'Ilíada' de Homero. Um personagem de grande relevância tendo recebido a incumbência de reviver a glória dos troianos.


A Guerra de Tróia

Durante a Guerra de Tróia, Enéias foi um dos mais respeitados heróis troianos, talvez inferior somente a Heitor. Ele combateu frente a frente alguns dos grandes heróis gregos, como Diomedes, Idomeneu e Aquiles. Era uma grande herói embora por duas vezes foi salvo por intervenção divina, de Diomedes e de Afrodite.

Vários deuses o favoreciam, sua mãe Afrodite, Apolo, Mercúrio e até mesmo Poseidon, que favorecia os gregos, ajudou-o. Porém tinha como inimiga a terrível Juno (Hera). Quando Tróia estava sendo saqueada pelos gregos, Enéias lutou até que os deuses ordenassem sua fuga.


A Missão de Eneias

Enéias recebeu a missão de reviver a glória dos troianos na Itália e para isso foi aconselhado pelos deuses a deixar a cidade de Troia que estava em chamas pela batalha juntamente com alguns soldados e sua família. Enéias carregou seu pai, Anquises, nas costas e também levou a esposa Creusa e seu filho Ascânio.

Durante a fuga a esposa de Enéias desaparece sem deixar vestígio e o herói se vê em busca de uma nova pátria. Para que possa encontrar um novo lar ele e seus seguidores embarcam num navio. Sem saber o que fazer Enéias pede orientação para o deus Apolo que lhe diz que ele e os troianos que o acompanham devem ir para a terra que deu origem ao seu primeiro antepassado.


O pai de Enéias foi quem ajudou a decifrar o destino para o qual teriam de ir já que conhecia a história da origem do rei Tros que foi o fundador de Troia. O rei seria fruto da união de Bátia, filha de um rei chamado Teucro, com Dardano. Acreditava-se que a origem de Teucro era a Ilha de Creta, para onde o navio passou a rumar.


O Incidente em Creta

Após três dias finalmente Enéias e a tripulação do navio chegaram a Creta, não perdendo tempo logo se deu início a construção de uma cidade a qual o herói chamou de Pérgamo. Todos se dedicaram a lavrar e semear a terra e quando tudo parecia caminhar bem o trabalho foi completamente destruído. A terra foi arrasada por um intensa seca e uma grave epidemia se alastrou entre os troianos.

Anquises disse ao filho Enéias para voltar ao templo de Apolo na ilha de Delos para lhe perguntar por que os deuses desaprovaram o trabalho. Porém, antes que o herói empreendesse a viagem os numes apareceram com um recado de Apolo que dizia para os troianos seguirem para Hespéria (Itália). O pai de Enéias então se lembrou de uma profecia que dizia que uma nova Troia seria erguida na Hespéria, os troianos logo se puseram a caminho.


Romance com a Rainha Dido

Uma das passagens mais marcantes de 'Eneida' é aquela em que Enéias e os demais tripulantes desembarcam em Cartago, na África do Norte. Enéias a essa altura já havia perdido seu pai Anquises que faleceu devido a idade avançada. Por artimanhas de sua mãe Afrodite e do Cupido Enéias inicia um romance com Dido, rainha-fundadora de Cartago.

No início o romance tinha sido ideia de Juno (Hera) que como inimigo de Enéias queria que ele se desviasse do seu foco de viagem. No entanto, a deusa e mãe do herói, Vênus (Afrodite), observou que esse enlace traria muitas vantagens para seu filho. Num determinado momento Jupiter (Zeus) envia Hermes para chamar a atenção de Enéias que havia fugido de Troia para não se submeter aos gregos, mas que passava a se submeter à Dido e seu povo.


Partida

Mesmo apaixonado por Dido, Enéias, resolve partir para fundar a cidade para seu filho Ascânio e seus descendentes. Ao deixar Cartago o herói vê sua amada cometer suicídio numa pira funerária. Após esse trágico episódio Enéias aportou na Itália e em Cumas fez uma incursão ao submundo para encontrar seu pai que lhe falou a respeito das gerações futuras provenientes da reconstrução de Troia. Também encontrou o fantasma de Dido, que ainda amargurada recusou lhe dar perdão.


O Amor por Lavínia

Enéias seguiu sua viagem pela Itália chegando então ao Lácio onde conheceu o rei local Latino que era neto de Saturno. O rei gostou de Enéias e lhe ofereceu além de terras a mão de sua bela filha Lavínia. Tal atitude foi motivada por uma profecia que dizia que Lavínia deveria se casar com um estrangeiro para que pudesse dar origem a um povo poderoso que iria governar o mundo.

A jovem e o herói se apaixonaram, porém, a mãe da princesa não gostou do novo pretendente. Desde criança Lavínia era prometida em casamento a Turno, rei dos rútulos que também não aceitou ser trocado por um estrangeiro. Teve início então uma grande guerra que contou com a adição de outros povos, alguns lutando do lado de Enéias e outros do lado de Turno.

Com medo de que todo o Lácio fosse arruinado o rei Latino propôs que os dois pretendentes de sua filha duelassem sendo o vencedor o escolhido para se casar com Lavínia e reinar no Lácio. O vencedor do duelo foi Enéias que pode escolher entre poupar ou matar Turno. Sua decisão foi a de matar o adversário quando observou nele despojos de um amigo seu morto em combate.


Desfecho

Após ter vencido Enéias se casou com Lavínia e esse foi um choque muito grande para a mãe da jovem que se matou antes de ver o estrangeiro assumir o trono do Lácio. De acordo com a mitologia Enéias abdicou do trono para seu filho Ascânio e partiu para reconstruir Troia. A fundação de Roma (a segunda Troia) se deu através dos gêmeos Romulo e Remo que tinham descendência por parte de mãe de Enéias, mas cujo pai era o deus Marte.


Fontes: culturamix, wikipedia