Dianus Lucifero - A estrela da manhã

10/08/2018

Dianus Lucifero é o antigo deus das Bruxas Italianas. Irmão, filho e consorte da Deusa Diana, é o Portador da Luz e Senhor do Esplendor, além de ser o Senhor da Estrela Matutina e Vespertina para os romanos. Foi, posteriormente, associado ao diabo cristão.

Dianus Lucifero também é conhecido como Dis em seu aspecto de Deus da Morte e do Além Mundo e como Lupercusem em seu aspecto de Criança da Promessa, portador da esperança e da Luz.

Associado ao planeta Vênus que, devido sua proximidade com o Sol, pode ser visto ao amanhecer, Dianus Lucifero, do latim "Luxferres", que mais tarde se tornou apenas Lúcifer, significa "O Portador da Luz", mas este Deus também pode ser chamado de "estrela da manhã", "filho da alva", "o que brilha" ou "o que traz luz".

Dianus Lucifero é dotado de três aspectos:

  • O Cornífero: Senhor das Florestas Selvagens e Deus da Fertilidade, da Sexualidade, da Vida e da Morte. Associado aos Faunos, porém Faunos são homens-bode enquanto Dianus é um Deus Gamo (Cervo).
  • O Encapuzado: Senhor dos Campos e das Plantações; Rei da Colheita e Senhor da Flora; Rex Nemorensis; semelhante ao Greenman dos celtas.
  • O Ancião: Senhor da Sabedoria e Guardião dos Santuários.

O Culto da Stregheria ao Deus Dianus Lucifero está intimamente ligado aos antigos Mistérios do Deus Etrusco Tagni, e aos Deuses Clássicos como , Baco, Dioniso e Apolo.


Mito

Os Stregas contam que Dianus foi Criado quando Diana se separou em Escuridão e Luz, Feminino e Masculino. Diana (como Grande Mãe) foi criou o seu próprio consorte, sendo considerada uma Deusa Criadora.
Diana tentou de todas maneiras despertar o desejo sexual nele, mas como Dianus não cedeu, Ela o traiu, roubando-lhe o sêmen (através de Magia). Dizem que ela o enfeitiçou e copulou com Dianus enquanto ele dormia e, dessa união, surgiu Aradia.


Apolo ou Fósforo?

Muitos associam Dianus Lucifero como o nome romano de Apolo, o Deus-Sol cujo título é "Portador da Luz", tradução literal de seu nome, além de que, na Stregeria, Aradia é considerada filha de Diana e Dianus Lucifero/Lúcifer. Na mitologia grega, o irmão de Diana é Apolo, que dentre outros atributos, possui como característica marcante sua beleza, e também é ligado a Vênus, além de ambos serem Deuses Solares,deixando bem clara a associação entre eles.

Mas, na verdade, Lúcifer é a versão romana do Deus grego Eósforo (do antigo grego: Ηωσφόρος Eosphorus) ou Fósforo (do antigo grego: Φωσφόρος Phosphorus), que significam "Estrela d'Alva" ou "Estrela da Manhã" .

O Eósforo grego é filho de Eos, Deusa da Aurora, e irmão de Héspero, a Estrela Vésper. Enquanto na mitologia romana, Dianus Lucifero é filho de Astraeus e Aurora em algumas fontes, e de ou de Cefalus e Aurora em outras


Anjo caído

O nome Lúcifer não aparece nas versões mais antigas da bíblia. Foi acrescentado somente na tradução de Jerônimo, nó século IV AEC, como um adjetivo que significa "anjo de luz".

Entre o século IV e V, São Jerónimo usa pela primeira vez a palavra "lucifer" na versão em latim da bíblia, a Vulgata, para traduzir a palavra hebraica heylel, nome dado ao planeta Vênus, e na passagem de Isaías 14:12, de onde é retirado, está se referindo a um rei babilônio:

"Como caíste desde o céu, ó lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!"

Apenas mais tarde os cristãos começaram a associar o nome Lúcifer ao diabo, aplicando a passagem em Isaías como descrevendo o que aconteceu à Satanás quando caiu do céu.

No entanto, como a associação de Lúcifer ao demônio só se intensificou a partir do século IV, antes disso este nome era completamente normal, como qualquer outro da época. Era bastante usado pelos cristãos, na verdade. Uma prova disso, é um dos personagens que mais causa contradição (ou mesmo confusão) na cultura católica contemporânea: São Lúcifer de Cagliari, que foi um bispo de Cagliari, na Sardenha e, posteriormente, elevado a santo cristão.

Oficialmente a Igreja não atribui a Lúcifer o papel de Diabo, mas apenas o estado de "caído".


Visão teosófica

Corroborando outras opiniões, o Glossário Teosófico de Helena Blavatsky diz que Lúcifer é a Estrela da Manhã, o planeta Vênus, e literalmente a palavra significa "O Portador da Luz". Rejeita a atribuição a Lúcifer dos defeitos do orgulho e da arrogância que o cristianismo lhe imputou, nem diz que ele é a origem do mal e tampouco o identifica com o diabo e similares, que considera produtos apenas da imaginação humana sem existência autônoma real. Blavatsky faz notar que o próprio Cristo, em Apocalipse 22:16 chama a si mesmo de "Estrela da Manhã".


Epítetos:

  • Portador da Luz
  • Senhor do Esplendor
  • Senhor da Estrela Matutina e Vespertina

.

Parentesco

  • Filho, irmão e consorte de Diana
  • Pai de Arádia

.

Deuses com atributos semelhantes:

  • Mitologia Gaélica: Greenman
  • Mitologia Grega: Apolo, Eósforo

.

Guia rápido de Correspondências:

  • Invoque Dianus Lucifero para: criação, fertilidade, sexualidade, vida, morte, natureza, colheitas, sabedoria
  • Aromas e ervas: plantas solares como o Girassol
  • Cores: Dourado, laranja e vermelho
  • Pedras: Ágata do Fogo, Cornalina, Granada, Hematita, Jaspe Vermelho, Rubi
  • Face do Deus: todas
  • Elemento: Fogo e Ar
  • Estação do ano: Verão


RESUMO DE O PARAÍSO PERDIDO, JOHN MILTON

Prefácio
Escrito no século 17 por John Milton, PARAÍSO PERDIDO conta a história do Gênesis. Ele conta a queda de Lúcifer da graça e do pecado original de Eva. Você vai ler uma visão geral do conto, convertido a partir do poema (por sinal bem complicado) da história original. Como a Divina Comédia, temos a sorte de que Gustave Dore seja novamente responsável por algumas das mais belas obras de arte (esculturas) associadas a essa obra da Literatura Mundial.



A Queda dos Anjos - resumo

Nossa história começa no poço ardente do Inferno, flutuando no nada estelar ao qual nosso poeta chama Caos. Milton descreve um universo que consiste de uma esfera do Céu e uma esfera do Inferno flutuando em extremidades opostas do Caos. A criação e todos os seus planetas / estrelas estão pendurados por uma corrente de ouro ao Céu, sentados dentro da esfera do Céu. Lúcifer está no inferno, confuso e zangado. O anjo envergonhado acaba de cair da graça. Ele encontra-se malformado e deitado em um inferno ardente. Ele leva um momento para aclimatar-se ao novo ambiente. Ao redor dele, ele vê a escuridão como uma presença física, tecendo dentro e ao redor do tecido de sua nova casa. Lúcifer é maior do que qualquer gigante mítico. O anjo caído é armado com um escudo e uma lança para combinar seu tamanho imenso. Como testamento ao seu tamanho, Milton sugere ser um marinheiro para acontecer com ele, Ele poderia confundir Lúcifer com uma ilha e tentar amarrá-lo em sua costa. Perto de Lúcifer está Beelzebú, o segundo de Lucifer no comando. O camarada caído proclama que Lúcifer parece diferente do Anjo que ele um dia foi. Em torno deles estão os anjos mais desonrados e desorientados. Todos aqueles que lutaram contra Deus foram expulsos. Belzebu está triste com o estado das coisas e diz a Lúcifer que está chateado por ele ainda estar vivo. Ele diz que eles agora são apenas exemplos mostrados da ira vingativa de Deus. Lúcifer volta-se para Beelzebú e proclama que, a partir de agora, eles não farão mais bem a Deus. Lúcifer diz que eles devem tentar corromper qualquer coisa que Deus tente fazer a partir deste ponto. Após alguns momentos de contemplação, Lúcifer diz a seu camarada que eles devem se mudar para uma planície ardente próxima e elaborar um plano para empreender sua nova guerra com Deus. Eles também devem usar essa valiosa oportunidade para reparar suas perdas. Lúcifer voa para a planície e se alegra por estar tão distante de Deus como poderia ser. Uma vez desembarcado, ele vaga até a beira de um lago em chamas e acena todos os anjos caídos para ele.


O exército caído reconstrói - resumo

Quando os caídos ainda alados (com asas) chegam à planície e se sentam nela, Lúcifer começa a lamentar o quanto é inacreditável que perderam a guerra. Ele diz aos anjos para se levantarem ou serão desonrados para sempre - fala isso num discurso animador. A enorme massa de Anjos levantam-se com surpreendente pressa ao ouvirem o discurso de seu comandante. Eles se organizam em esquadrões, cada um com um líder que sai para se juntar a Lúcifer. Chemos, Moloch, Baalim, Ashtaroth, Thammuz, Dagon, Rimmnon e Belial são alguns dos líderes nomeados que estão com Lúcifer à frente do novo exército. À medida que mais Anjos chegam, eles estão cheios de um grande desespero, mas encontram esperança ao verem Lúcifer vivo e ininterrupto. Lúcifer continua seu discurso inspirador e então exige que sua bandeira seja desdobrada. Brilha fortemente como um meteoro e encoraja outros a levantarem suas lanças e agitarem suas bandeiras. O exército rugindo em uníssono, ao som da trombeta de Hellish, se agrupam em frente de seu comandante. Lúcifer domina os outros Anjos que é agora o maior exército já reunido. Os Anjos aguardam suas ordens. Lúcifer ainda parece ser incrivelmente poderoso e apaixonado apesar de sua queda. Ele é um líder forte para eles. Lúcifer tenta falar com seu exército três vezes, mas é retido por emoção. Quando, finalmente, ele reúne suas forças, ele diz como são corajosos como soldados e como ninguém poderia ter previsto sua perda para Deus. Ele lhes diz para não temer, que eles vão se erguer mais do que nunca, mas apenas se eles mudarem suas táticas para enganar e fraudar. Ele lhes diz para levantar um grande santuário no Inferno para debater um plano para lutar contra o Céu. As legiões de caídos levantam suas bandeiras em aprovação.


O Conselho no Inferno - Parte 1

Um grupo de Anjos liderados por Mammon dirigem-se a um vulcão próximo que sentem rico com minérios metálicos. Uma vez lá, eles vigorosamente mina ouro abundante dele. Depois de obter uma quantidade significativa, eles passam o minério para um segundo grupo de Anjos. Esses anjos refinam o minério usando o fogo líquido de um lago ardente. Finalmente, uma vez refinado, um terceiro grupo derrama o ouro derretido em tijolos como moldes. Depois de algum tempo, um enorme templo brilhante dos tijolos dourados foi construído. Um monumento Hellish ao artesanato dos anjos. O templo, chamado Pandemonium, é adornado com estátuas, pilares e um grande telhado de ouro varrendo. É mais magnífico do que qualquer coisa criada na Terra.


O Conselho no Inferno - Parte 2

Muitos dos Anjos caídos entram no prédio como abelhas que entram numa colméia. Para encaixar todos eles encolhem a um tamanho menor do que um homem humano. É hora de ter um grande debate político no inferno. Lúcifer se senta em seu trono e começa dizendo que acredita que um dia retomará ao Céu. Ele diz que agora é a hora de debater se quer derrotar a Deus através de uma guerra total ou através de sutileza e espionagem. Moloch fala primeiro, afirmando que eles devem atacar o trono de Deus com tudo o que têm, como eles não podem ser punidos pior do que eles são agora. Belial responde que a guerra aberta será difícil porque a fronteira do Céu está bem protegida, eles seriam repelidos facilmente. Belial, em seguida, anuncia inteligentemente que não importa o curso, Deus inevitavelmente os descobrirão. Ele sugere que se contenham e não façam nada na esperança de que Deus relaxe sua punição. Mammon, o próximo orador diz que ele acredita que Deus não pode ser derrotado e que, mesmo se o perdão é possível, todos eles permanecerão escravos de sua vontade. Eles devem permanecer no inferno e tentar forjar um novo império. Mammon é saudado com aplausos arrebatadores ao pensamento de construir um reino para rivalizar com Deus. Eles também apreciam a ausência de mais guerra. Beelzebub se levanta depois. Ele diz que é loucura acreditar que eles podem criar um Império no Inferno, pois Deus, indubitavelmente, o reivindicará como seu domínio. Ele diz que não pode haver paz, mas rumores sugerem que Deus está construindo um novo mundo. Ele sugere destruir os habitantes desta nova planície ou puxá-los para o seu lado. Depois de deliberar, os Anjos votaram a favor de Beelzebu. O próximo debate começa com a seleção sobre quem fará a tarefa. Ninguém se voluntaria porque a tarefa é perigosa e importante. Lúcifer, notavelmente quieto em tudo isso, levanta-se e dirige-se a todos eles. Ele afirma que quem tomar a tarefa deve enfrentar a "noite não essencial", Chaos. Ele lhes diz que, como seu líder, ele não deve pedir mais a eles do que ele não está disposto a fazer a si mesmo e diz que ele vai procurar uma nova criação. Ele pede que os Anjos construam um inferno melhor enquanto ele está ausente. Os Anjos respeitam Lúcifer e o tratam com adoração ao nível do próprio Deus. Lucifer deixa Pandemonium com um grupo de Anjos mais bem classificados, cercado por unidades fortemente armadas. Falso-chifres de ouro são soprados sobre o resto dos anjos são informados da decisão. Lúcifer imediatamente dirige-se para os portões do Inferno.


As Portas do Inferno

Lúcifer aproxima-se das três portas do inferno, uma de ferro, outra de latão e a de rocha de diamante. Ao lado dos portões há duas figuras. Uma delas é uma fêmea, serpente da cintura para baixo com os cães de inferno latindo e amarrados a ela. A outra figura é uma forma masculina escura, quase sem forma, usando uma coroa em sua cabeça. Lúcifer diz-lhes que está atravessando os portões não importa o que lhes digam ou façam. A forma masculina diz-lhe que, mesmo se ele é o grande anjo caído, Lúcifer, não está no comando ali. Lúcifer e o homem compartilham um olhar de duelo. A fêmea de repente canaliza perguntando por que Lúcifer deseja matar seu próprio filho. Ela diz que durante a revolta no Céu ela brotou da cabeça de Lúcifer e os outros Anjos chamaram seu Pecado. Sem o conhecimento de Lúcifer, ele e Sin (Pecado) então compartilhavam uma relação sexual que deu origem à Morte, a figura masculina. A Morte então violou o Pecado, gerando os cães do inferno em torno de sua cintura. Lúcifer diz a ela que ele está procurando o novo mundo de Deus e que ele os deixará ambos livres se eles o tomar por si mesmo. Pecado diz a Lúcifer que embora Deus a tenha instruído a manter os portões trancados, Deus não é seu pai, Lucifer é. Um tremor estremecedor é ouvido quando Pecado abre as portas e do outro lado há uma infinita e ilimitada escuridão. Um vazio sem dimensão. Lúcifer observa-o como frio, quente, molhado e seco de uma só vez. Ele também ecoa um incalculavelmente ruído alto. Ele entra pelas portas do Caos. 


O Trono do Caos

A textura do Caos é bizarra e sem razão. Lúcifer encontra-se nadando, voando, correndo e rastejando de todas as maneiras possíveis para o barulho que ele consegue ouvir. Eventualmente ele chega ao trono do Caos. Sentado no trono, Caos está personificado, que diz a Lúcifer que ele observou o Anjo e seus irmãos caírem através de seu domínio. Lúcifer pergunta a Caos a localização da nova criação de Deus e o Caos aponta, felizmente, na direção correta. Lúcifer, cheio de paixão ardente, dirige-se para o novo universo. À medida que Lúcifer se aproxima do Céu, ele vê suas luzes celestes assim como o universo acorrentado a ela. Ele vai diretamente para a Terra com um coração cheio de vingança.


Uma cura para o pecado

Nossa história se muda para o céu e Deus está sentado com seu filho (não Jesus ainda). Ambos estão cuidando da nova criação de Deus. Eles vêem Adão, Eva, Éden e Lúcifer chegando. Ele explica a seu filho que ele acredita que Lúcifer conseguirá tentar a nova raça da humanidade para o mal. Ele diz a seu filho que ninguém controla a predestinação, nem mesmo ele. Ele deu a todos o livre arbítrio para fazer o que eles escolherem. Foram os Anjos que escolheram a revolta, não ele. Ele continua dizendo que, porque a humanidade será enganada, eles acabarão encontrando a salvação através da verdade. Ele implantará a consciência neles para que eles possam encontrar a graça através do chamado dele. Os dois começam a planejar a salvação da humanidade se sucumbirem a Lúcifer. Deus pede que alguém entre na Terra como um mortal e morra pelos pecados que Adão e Eva estão prestes a realizar. Todos os anjos caem em silêncio, Ninguém quer fazer o sacrifício. O Filho de Deus então se levanta e diz que o fará. Ele diz a eles que ele não vai morrer de qualquer maneira, como ele é imortal e vai tornar satanás e morte muda na Terra. Então ele retornará ao Céu depois de rolar o inferno. Deus e os outros anjos o alegram. Deus continua a nomear seu Filho o governante do universo depois que sua ação é feita para salvar a humanidade. Muito tempo depois disso haverá um dia de julgamento, diz Deus, onde seu Filho enviará almas para o Inferno e outros para o Céu. Então as portas do Céu serão seladas permanentemente, a Terra será queimada, e um novo Céu e Terra criados. Os anjos começam a tocar música em louvor a Deus e a seu filho.


Lúcifer chega à Terra

Lúcifer emerge da borda exterior do Caos para o círculo do Céu. Da sua posição, ele pode ver as Portas do Céu feitas de barras douradas incrustadas em jóias. Ele vê um conjunto de escadas unindo o Céu ao Universo recém-criado e um portal conectando-se ao reino físico. Lúcifer voa através do portal e aterrissa no Sol. É brilhante além da expressão, colorido além do cálculo. Lúcifer olha ao redor do universo e vê luz a sem fim, não há sombra (ainda). Ele olha para o Sol e vê o Anjo Uriel, um dos mais confiáveis ​​de Deus, virou para o outro lado e meditando. Antes de ser descoberto, Lúcifer transforma-se em um Querubim (anjo de ordem inferior) e pergunta a Uriel onde está a criação mais amada de Deus. Ele quer ver. Uriel diz ao in-disfarce Lúcifer que não há nada de errado em testemunhar a Criação de Deus e tão feliz direciona-lo para a Terra e a humanidade. Lúcifer aterrissa no Monte Nifatos no Éden, o paraíso terrestre. Enquanto olha ao redor deste novo reino, ele amaldiçoa o Sol. Os feixes fazem lembrá-lo do que ele era. Lúcifer nunca pode realmente escapar do inferno porque o verdadeiro inferno está dentro dele. Ele odeia a Deus por submetê-lo e escravizá-lo. Ele carrega o inferno com ele em seu ódio. Ele diz a si mesmo que mesmo se Deus o perdoou, ele sabe que só tentará derrubar seu governo novamente.


Lúcifer entra no Paraíso

Lúcifer diz " o Mal seja o meu Bem", e que ele e Deus governarão um "Império dividido". Ele fica tão irritado que sua forma muda de cor várias vezes. Uriel percebe isso de dentro do Sol. Lúcifer se aproxima da borda do Paraíso (Éden) sentado no topo de uma colina coberta de vegetação. À direita no topo pode ser visto uma grande muro de imersão em torno dele. Aromas de frutas, figos e outras delícias peneirar longe dele. Lúcifer não pode subir a colina devido a estar completamente coberto de arbustos e árvores, então ele decide simplesmente saltar para ele. O Anjo caído pousa na Árvore da Vida e examina o Paraíso. Ao lado dessa árvore está a Árvore do Conhecimento. O paraíso é tão bonito quanto qualquer coisa pode possivelmente ser, abundante na vida e alimentado pelo amor e proteção do Céu. Lúcifer percebe que duas criaturas estão mais nobres e eretas do que as demais. Ele presta atenção cuidadosa aos seus diferentes gêneros vendo-os desiguais. Ele reconhece que um é construído para a força e valor, o outro para a graça e beleza.


Adão & Eva

A dupla está nua e a fêmea aparece subserviente ao macho, mas não em uma forma de escravidão, mas mais em uma forma de amor. Sentam-se e comem nectarinas cercadas por animais que brincam em volta deles. Leões e elefantes são livres de cuidados nesta terra maravilhosa. Lúcifer diz a si mesmo que eles não têm ideia do que está prestes a acontecer com eles. Logo ele vai arrastá-los para o Inferno, ele murmura. O Anjo se transforma em um Leão e depois um Tigre para que ele possa ouvir o par conversando. Adão diz a Eva que Deus deve ser infinitamente bom, ele lhes dá tudo o que poderia precisar apenas sob a condição de que nunca comerem da Árvore do Conhecimento. Eva concorda com ele, e começa a contar que quando ela nasceu, ela ficou chocada com seu próprio reflexo na água. Foi a voz de Adão que a atraiu para ele e ela foi repelida por Adão ter menos beleza. Adão diz que ela inicialmente o seguiu. Lúcifer é incrivelmente ciumento e diz que o casal está doente. Eles têm o Paraíso, assim como um ao outro e ele tem que definhar no Inferno. Ele não pode entender por que Deus lhes negará o conhecimento e decide excitar seu desejo de saber. Ele vai enganá-los para que desobedecem ao único mandamento de Deus.


Lucifer encontro com Gabriel

O sol está se pondo no oeste. Na porta oriental fica Gabriel, observando o Paraíso. Uriel se aproxima de Gabriel num raio de sol como uma estrela cadente. Ele diz a Gabriel que um estranho Anjo se aproximou dele mais cedo e agora o reconheceu como um dos caídos da guerra no Céu. O crepúsculo começa e Gabriel promete encontrar o intruso ao anoitecer. Uriel parte, confiando em Gabriel. Adão diz a Eva que eles precisam descansar para a noite. Deus ordenou períodos de trabalho e descanso, afinal. Ele diz a Eva sobre os trabalhos de jardinagem do dia seguinte e Eva obedece. Adora tanto Adão que se sentiria sozinha sem ele. Adão diz a Eva sobre as estrelas e o brilho do céu. Ele diz que as vozes celestes falam sobre a noite. Os dois dirigem-se para o seu abrigo, um alojamento coberto de flores e cercado com árvores. Eles louvam as criações de Deus quando eles entram, fazem amor e depois adormecem. Gabriel diz a seu tenente, Uziel, para verificar oa sul do Paraíso com um esquadrão de Anjos. Ele ordena que outros dois, Ituriel e Zephon procurem o Anjo caído no Paraíso. Ituriel e Zephon acham Satanás na forma de um sapo, sussurrando maus pensamentos no ouvido de Eva. Iturial toca Satanás com sua lança e pergunta qual anjo caído ele é. Voltando à sua forma normal, Satanás os insulta, dizendo que, se não o reconhecem, realmente devem ser anjos pequenos. Zephon diz que Satanás parece diferente do que antes, ele agora parece seu novo lar no inferno. Eles instruem o intruso que ele deve responder a Gabriel. Gabriel reconhece Satanás e diz a seus esquadrões que se preparem para uma luta. Gabriel pergunta ao anjo caído por que ele deixou o inferno. Satanás insulta Gabriel, Perguntando se ele perdeu sua sabedoria. Quem não gostaria de deixar o inferno? Gabriel responde sarcasticamente dizendo como o Céu perdeu um excelente juiz de sabedoria. Gabriel pergunta o paradeiro dos outros anjos caídos, se o inferno é tão ruim, eles devem estar aqui. Satanás responde que está cumprindo seus deveres de liderança e suportando as dores necessárias para chegar aos seus objetivos, algo que Gabriel nunca entenderia. Gabriel chama Satanás de mentiroso. Primeiro ele é um explorador, então um líder em uma missão? Ele ordena Satanás a voltar ao Inferno. Satanás diz que Gabriel terá que acorrentá-lo primeiro e o par se preparar para um confronto. De repente, Deus deixa cair um conjunto de escalas entre eles que indicará o sucesso da batalha de antemão. Satanás decide sair porque as escalas indicam que ele será superado em número.


Rafael chega ao paraíso

Eva acorda bastante rude e diz a Adão que ele é perfeito. Ela continua e diz que não sonhou com ele como ela geralmente faz, mas com alguém sussurrando em seu ouvido dizendo-lhe para ir adiante. Em seu sonho, diz ela, aproximou-se da Árvore do Conhecimento e viu uma criatura com aparência de anjo perguntando por que o conhecimento é proibido. A criatura declarou que é uma regra estúpida antes de dar uma mordida num dos frutos da Árvore. O ser então ofereceu o fruto a Eva, dizendo-lhe que ela estaria entre os Deuses se ela comesse. Em seu sonho ela comeu o fruto e voou para o Céu com a criatura. Adão pede que ela não pense nisso. Ele diz que era apenas um sonho e que sabia que ela nunca faria tal coisa. Eles têm trabalho a fazer, então ele diz que eles devem se ir. Eles deixam a sua tenda e oferecem orações a Deus, E elogiam tudo o que podiam para louvar a seu Criador. Deus vê os dois trabalharem e os compadece. Ele chama Rafael. Ele diz a Rafael que Satanás está causando estragos no Paraíso e ordena que ele conte a Adão sobre isso. Raphael dirige-se imediatamente para a terra e aterrissa no penhasco oriental do paraíso. Os outros Anjos vizinhos o reconhecem. Rafael tem seis asas, que ele treme quando aterrissa. Adão está sentado à porta de sua casa e Eva está dentro preparando frutas. Adão vê Raphael aproximando-se e diz a Eva para reunir toda sua comida para seu convidado. Adão diz que Rafael é tão brilhante que ele é como um segundo nascer do sol. Adão vai encontrar Rafael enquanto Eva escolhe frutos em seu jardim. Ele oferece hospitalidade ao anjo em seu teto até que o "calor do meridiano" amenize. Eva os espera dentro, agora com toda a fruta preparada. Adão oferece a comida ao Anjo perguntando se ele comia aquilo. Rafael responde que os anjos comem como os humanos. Adão usa a desculpa para fazer perguntas a Rafael sobre o Céu. Em primeiro lugar ele questiona se a comida é diferente. Rafael diz que o alimento é o mesmo, apenas feito em combinações diferentes. Por exemplo, Deus é inteiramente espiritual e não físico. A Terra é principalmente física e não espiritual. Rafael diz ao casal que se eles seguirem as regras de Deus, talvez eles se tornem um dia completamente espirituais e possam entrar no Céu. Adão pergunta o que é obediência e se é mesmo possível para eles desobedecer a Deus. Rafael diz a Adão que o Paraíso foi criado para os dois e que eles devem trabalhar duro para cuidar dele. Ele continua dizendo que os dois são livres para escolher o que querem. Se não louvaram a Deus voluntariamente, não teria sentido para ele. O mesmo se aplica aos Anjos, qualquer Anjo que desobedece a Deus é forçado ao Inferno. Adão está intrigado e pede mais. Rafael concorda cautelosamente em contar a Guerra no Céu.


A Guerra no Céu - Parte 1

Antes do Universo, Deus chamou a todos para um grande conselho no Céu. Uma vez no lugar, ele nomeia seu Filho como o novo governante do Céu. A maioria dos Anjos se alegra. Um anjo chamado Lúcifer sente-se desprezado por Deus; Ele é quase o mais alto das fileiras de Deus. O fato de que ele nunca foi considerado por Deus e aquela escolha foi ofensiva para ele. E no dia seguinte, após o conselho, que Lucifer de alguma forma conseguiu converter quase 1/3 dos Anjos para o seu lado. Deus disse a seu Filho para se preparar para uma batalha. Lúcifer se senta em seu trono no topo de uma montanha e chama todos os anjos para ele. Ele faz isso sob o estratagema de explicar como devem tratar seu novo senhor, o filho de Deus. Lúcifer pergunta aos anjos como eles podem servir a dois senhores e o nomeia como escravidão vil. É um insulto à sua liberdade e liberdade de todos ali, afirma Lúcifer. Um anjo chamado Abdiel, inquestionável em sua lealdade a Deus, Nomeia Lúcifer como um blasfemador e pergunta se Lúcifer quer passar sobre as leis de Deus e disputar com ele qual é a definição de liberdade? Deus existe para encorajar a felicidade, não para negá-la. Ele diz a Lúcifer para se desculpar com Deus, enquanto ainda é possível. Ninguém está ouvindo Abdiel e Lúcifer está se divertindo. Lúcifer começa a questionar o papel de Deus na criação. Ele diz que nenhum dos Anjos se lembra do seu nascimento de Deus e que ele acredita que eles foram criados por si mesmos. Lúcifer diz a Abdiel para informar ao filho de Deus sobre essas palavras. Abdiel não é convencido por aqueles contra ele. Ele diz a Lúcifer que ele e seus compatriotas logo saberão a verdade de sua criação e então lamentarão suas ações. Ele vira as costas para Lúcifer e sai.


A Guerra no Céu - Parte 2

De manhã, Abdiel caminha entre os Céus e vê colunas de carros e corcéis ardentes prontos para a guerra. Deus aparece atrás dele e agradece-lhe por tomar a decisão difícil, mas certa. Deus, então, ordena Miguel e Gabriel para travarem a guerra contra os dissidentes contra ele e bani-los para o inferno. As nuvens escurecem sobre o céu, as trombetas soam e os anjos leais de Deus marcham para o norte para encontrar o exército de traidores de Lúcifer. Abdiel observa que ele não pode acreditar que Lúcifer ainda aparece como um anjo depois de fazer o que ele fez. Abdiel grita para Lúcifer através da planície que ele está louco por tentar lutar contra Deus, seu criador. Lúcifer observa que Abdiel será o primeiro a sentir sua picada, que Abdiel está apenas escolhendo a lealdade para estar no lado bom de Deus. Todos os anjos estão escolhendo a servidão sobre a liberdade, grita Lúcifer. Abdiel responde que a servidão seria estar servindo a um líder imprudente como Lúcifer. Abdiel ataca sem provocação tão rapidamente que Lúcifer não tem tempo para repeli-la. Seu exército está enfurecido pelo ataque-surpresa contra seu líder. Miguel dá a ordem para as trombetas entoarem o som e começar a batalha. "Agora a fúria da tempestade subiu [...] Braços em armadura batendo brincando / Discordância horrível, e as rodas enlouquecidas / de carros de bronze enfurecidos".


A Guerra no Céu - Parte 3

A guerra no céu é brutalmente horrível. As batalhas são travadas em terra e no ar. Todos os Anjos participam. Satanás vê Miguel no campo de batalha e levanta seu escudo. Miguel vê a oportunidade de capturar o Anjo e acabar com a guerra civil. Miguel diz a Satanás que ele trouxe o mal para um reino de paz e que Satanás deve descer para o inferno. Satanás responde dizendo que suas forças ganharão o céu e que todos serão livres. Enquanto os dois começam a lutar, Milton descreve-o como dois planetas que se chocam juntos. Eles tentam matar um ao outro com um único golpe. Miguel corta a espada de Satanás pela metade e fere brutalmente um lado de Satanás. Uma substância começa a vomitar da ferida de Satanás e ele sente dor pela primeira vez. Alguns dos soldados de Satanás chegam e levam-no par um lugar seguro. Ele está furioso por não ser tão incomparável quanto acreditava ser. Em outra parte da batalha, Gabriel dizima Molloch enquanto Rafael, Uriel e Abdiel participam de suas próprias batalhas. O campo de batalha está cheio de soldados feridos e destroços sangrentos de carros e corcéis. Muitos dos Anjos estão sentindo medo e dor pela primeira vez. A noite cai e durante um interlúdio sem luta, Satanás chama um conselho. Alimenta suas tropas uma mensagem da glória e diz-lhes que Deus deve ser falível já que eles tinham sobrevivido por tanto tempo. Claro que eles estavam feridos, mas eles realmente não podiam morrer, então não há problemas realmente. Nisroc responde que a dor não é uma coisa agradável e pede a alguém para formar uma estratégia melhor. Satanás diz a todos para que construam canhões e os anjos começaram a desenterrar materiais para fazê-lo.


A Guerra no Céu - Parte 4

No lado leal, o escudeiro Zofiel informa a seus camaradas que Satanás está outra vez em batalha. As forças de Satanás formam um cubo como uma estrutura oca, escondendo os canhões. Os soldados na retaguarda de Satanás flanqueiam ambos os lados e os canhões são revelados e disparados. Milhares de Anjos são imediatamente destruídos em "raios acorrentados com um granizo de globos de Ferro". Os Anjos ainda leais estão confusos e não sabem o que fazer. Satanás percebe que eles estão começando a recuar e ri alegremente com seus soldados. Belial continua, sarcasticamente, a repreensão dos anjos leais. Isso porque eles assumem que a vitória é deles, pois testemunham a raiva e a fúria dos Anjos leais. Aqueles que ainda estão do lado de Deus voam para montanhas próximas e caem ao chão. Eles começam a atirar as montanhas contra Satanás e seu exército. Deus se volta para seu filho, tendo estado observando a batalha por dois dias, e diz-lhe que ele não quer mais que seus filhos a lutem. Ele instrui seu filho a livrar-se da própria batalha e banir Satanás e seus seguidores para o Inferno. Ele dá a seu filho seu próprio carro, sua espada e seu "trovão" para fazê-lo. A carruagem puxada adiante com o filho de Deus em posição de batalha. É puxado por 4 querubins como figuras em chamas com estrelas de luz. A carruagem está coberta de asas e olhos. O filho está num trono de safira e levanta seu arco e aljava. Miguel empurra com suas forças tudo para longe do filho de Deus e assim abre caminho para ele. Os anjos rebeldes empurram para outro ataque, revitalizado pelo aparecimento de um de seus maiores inimigos. O filho de Deus se volta para Miguel e diz "para mim você é a desgraça que Deus designou" e manda seus Anjos embora. Ele cavalga sobre os anjos rebeldes com uma raiva terrível. Todo o Céu se afasta do trono de Deus. Os anjos rebeldes ficam aterrorizados com a visão e deixam cair suas armas com medo. O filho de Deus começa a disparar seu arco nos Anjos, enquanto seus querubins disparam iluminação e trovão sobre eles. O filho de Deus retém os anjos rebeldes e os forçam irem para a parede do Céu. Uma abertura abre-se na parede e empurra-os completamente. Eles caem por nove dias até que "a casa de dor e dor", que é o inferno, cumprimenta-los. O muro fecha-se e os outros anjos regozijam-se com o filho de Deus. Rafael termina sua história dizendo a Adão que é o melhor que pode traduzir em termos humanos. Ele informa a Adão que Satanás ainda está tentando desfazer a obra de Deus, então que ele tome muito cuidado.


A Criação do Universo

Adão pergunta como e por que o mundo foi criado, querendo saber mais de Rafael. Rafael diz que ele vai tentar, mas vai ser difícil novamente. Ele pede a Adão que não se torne demasiado curioso, pois o conhecimento é como o alimento e deve ser racionado ou então a doença seguirá. Deus vê Satanás cair, diz Rafael, e diz a seu filho que ele vai agora criar um novo mundo. Ele não quer que Satanás vanglorie-se de quantos Anjos se voltaram contra ele ou julgue mal seu poder de criar mais nada. Ele diz que haverá um homem neste novo mundo que dará à luz uma raça inteiramente nova. Deus informa seu filho que ele estará lhe dando poder para criar este novo lugar. Os portões do Céu se abrem e o filho de Deus caminha rumo ao abismo do Caos, dizendo a suas ondas perturbadas que permaneçam imóveis. Os Anjos se alegram e alguns deles o seguem para assistir. O filho de Deus usa uma bússola dourada para medir os limites do universo. Ele empurra a matéria sem vida do Caos e infunde calor e virtude neste novo reino. Ele então agrupa substâncias em globos e forma coisas como a Terra e outros planetas. Deus diz "haja luz" e divide a noite do dia. O primeiro dia chega ao fim. No segundo dia, o firmamento é criado. Ele age como um amortecedor entre o Universo e o Reino do Céu. No terceiro dia, a terra seca é formada a partir dos oceanos sem vida da Terra, e as montanhas aparecem nos horizontes do planeta florescente. Fluxos e mares surgem como resultado. No quarto dia, o Sol a Lua e as estrelas são definidas para tornar as estações e divisão entre a noite eo dia abundantemente claras. No quinto dia, são criados répteis, pássaros e mamíferos. Deus lhes diz para "ser fecundos e multiplicar". Os animais saem e se reproduzem em todo o mundo. No sexto dia, animais como leões e gado são criados. Todas as criaturas "pequenas" também são construídas neste dia, coisas como insetos. Neste dia, Deus diz a seu filho que eles agora criarão o Homem à sua imagem. Depois de fazer isso, ele também cria Eva para ser companheiro do homem. Ele lhes diz para ir adiante e se multiplicar para "encher a Terra". Ele coloca os dois no Paraíso, dá-lhes domínio sobre todo o novo universo e diz-lhes que podem fazer qualquer coisa, exceto comer da Árvore do Conhecimento. Agora que o universo foi criado, o filho de Deus retorna ao céu. No sétimo dia ele repousa. Música e alegria podem ser ouvidas por todo o Céu. Rafael termina e pergunta a Adão se há alguma outra coisa que ele deseje saber.


O Nascimento de Adão

Eva deixa os dois conversarem. Ela prefere ouvir as histórias de Adão porque ele vai contar-lhe mais carinhosamente, geralmente com beijos. Adão pergunta por que as estrelas e planetas se movimentam pela Terra e Rafael afirma que isso realmente não importa. Algumas coisas só Deus entende, diz ele. Ele pede que Adão não se pergunte sobre essas coisas e que confie em Deus, pois Ele sabe o que está fazendo. Adão pergunta a Rafael se ele deseja ouvir sobre suas primeiras lembranças. Rafael está feliz em ouvir enquanto ele estava ocupado observando o Portão do Inferno naquele momento particular. Adão conta que quando ele se existiu pela primeira vez, ele olhou para o Céu e depois em torno dele. Ele andou daqui para lá e percebeu logo depois que ele poderia falar e nomear as coisas. Ele não tinha idéia de quem ele era ou de onde viera, mas determinou que devia ter sido criado. Depois disso, sentou-se, adormeceu e sonhou. Em seu sonho apareceu uma figura fantasmagórica e o levou ao jardim do Paraíso. Uma vez que ele acordou, descobriu que tinha sido realmente movido para lá. A aparição aparece a Adão acordado e diz-lhe que é ele que o criou. Ele então informa a Adão que tudo é seu, exceto a Árvore do Conhecimento. Se ele comer da Árvore, ele se tornará mortal e terá que deixar o Jardim. De repente, todos os animais vêm até Adão em pares para serem nomeados, mas Adão não vê o que ele quer ver. Ele pergunta a Deus como é suposto ser feliz sem um companheiro próprio. Deus diz que todos os animais serão companhia, e Adão responde que ele não pode falar com essas criaturas. Nenhum deles é seu igual. Deus pergunta a Adão por que ele mesmo está bem sem um companheiro e Adão responde com "porque você é perfeito". Ele nao' Não preciso de ninguém, ele é Deus. Deus está feliz com a resposta e diz a Adão que ele estava apenas testando-o para ver como ele iria lidar com estar sozinho. Deus põe Adão pra dormir. Adão tem uma experiência fora do corpo e vê Deus criar Eva de uma de suas costelas. Ele acorda e vai à procura desta bela e nova criatura. Ele a vê se aproximando dele, guiado pela voz de Deus, e depois agradece a Deus por ela. Ele se casa com ela imediatamente. Rafael diz a Adão para não ser enamorado pela beleza de Eva. Ela merece seu amor, mas não sua sujeição. Adão diz que ele entende que Eva é inferior a ele e pergunta ao Anjo se os anjos fazem amor. Rafael cora e responde que todos os Anjos estão felizes e não pode haver felicidade sem amor. Com isso, Rafael diz a Adão para continuar a louvar a Deus e evitar a tentação. O céu tem grandes esperanças para a sua espécie. O anjo sai.


O Pecado Original - Parte 1

A invocação final de Milton às musas dizendo que ele deve agora mudar seu tom para a tragédia. O Sol se estabeleceu e Lúcifer voltou para o Paraíso, absolutamente irresponsável pela destruição da humanidade. Já faz uma semana que ele esteve aqui pela última vez. Ele usa um rio que flui do lado de fora do Jardim para entrar no Paraíso. Uma vez dentro ele decide personificar uma serpente. Lúcifer diz que a Terra é muito bonita e teria se contentado apenas em andar por ela. No entanto, na verdade, ele não pode realmente ser feliz como o lugar também o deixa enfurecido. Ele não está esperando que a felicidade venha de sua corrupção dos humanos, mas simplesmente para tornar todos tão tristes e zangados quanto ele. Ao amanhecer, Eva sugere a Adão que dividem seu trabalho. Quando trabalham juntos, muitas vezes não realizam nada. Adão responde que não há razão para eles não poderem simplesmente ficar tranqüilos, mas se Eva quiser ficar sozinha por um tempo, tudo bem. Adão diz a Eva que eles podem ser melhor ficar grudando juntos por causa da advertência sobre Satanás. Eva o repreende por duvidar dela. Adão responde que ele não está duvidando dela, apenas que fazê-la sofrer a tentação sozinha é desonrosa dele. A tentação, diz Eva, só demonstrará a força de ambos. Adão diz que não vai fazê-la trabalhar com ele contra sua vontade. Eva vagueia dizendo que o inimigo orgulhoso de Satanás nunca tentará corromper o sexo mais fraco. Seu castigo será mais vergonhoso do contrário. Lúcifer estava esperando nos arbustos por Eva, esperando encontrá-la sozinha. Seu desejo é concedido.


O Pecado Original - Parte 2

Satanás é surpreendido em como Eva é linda realmente. Por um momento ele esquece seu ódio. Ele se solta e diz a si mesmo como a missão será simples se concentrando apenas em Eva. Aproxima-se de Eva por um lado, como se não tentasse perturbá-la, e andando de pé (não na barriga). Satanás tenta obter a atenção de Eva fazendo ruídos altos, mas Eva não bate um olho. Ele faz gestos ainda mais pronunciados (até lamber o chão que ela anda). Ela percebe. Satanás se dirige a Eva, ele diz a ela para não o questionar, apenas entenda que sua beleza deve ser compartilhada por todos; Não apenas Adão. Eva está surpresa que uma Serpente possa falar. Ela pergunta como isso é possível. Satanás responde que originalmente ele não podia falar, mas depois de comer frutas de uma deliciosa árvore ele podia falar, pensar e raciocinar. É maravilhoso, diz ele. Eva pergunta qual árvore e felizmente segue o olhar disfarçado de Satanás em direção à Árvore do Conhecimento. Eva diz-lhe que ela não pode comer frutos desta árvore em particular e faz um trocadilho que é "infrutífero" para tentar tal coisa, independentemente de quão abundante é o fruto. Satanás responde que não lhe causou dano e pergunta por que Eva não pode comer o alimento dos animais. Deus vai admirar sua ousadia para alcançar a inteligência, diz ele. Deus não a matará, continua, pois isso seria injusto. Se ela comer o fruto, então ela se tornará como Deus, afirma Satanás. Eva não pode parar de olhar para a fruta, está perto da hora do almoço e ela está com muita fome. Ela diz que o fruto é muito poderoso em ser capaz de dar um discurso de Serpente. O fato de que ele é proibido simplesmente torna mais desejável. Ela pergunta a si mesma, Por que a humanidade deve ser negada conhecimento? A morte foi feita apenas para o homem? A véspera comeu muitos dos estremcidos frutos da natureza. Ela se dirige à árvore como sagrada e promete cantá-la até que ela cresça sábia. Ela decide contar a Adão o que ela fez, para que ele possa aprender sobre seu novo conhecimento. Adão está tecendo uma guirlanda para Eva e vai buscá-la. Ele a encontra perto da árvore. Eva corre até ele e diz-lhe que a Árvore não é nada como eles ouviram. Ela abriu seus olhos para o mundo e que Adão deve comer alguns frutos imediatamente. Adão está completamente chocado. Ele solta a guirlanda e diz: "Como você se perdeu, como de repente perdeu". Adão não suporta estar sem Eva, ser tentada significa que ele também foi condenado. Eva é agora mortal, assim que Adão deve também fazer experimentar daquele mergulho com ela. Eva encoraja Adão a comer o fruto usando um diálogo semelhante ao que Satanás usa. Adão pega um fruto e o come sozinho. O trovão começa a uivar e a terra gemer. A chuva cai sobre eles. Os dois seres humanos sentem luxúria pela primeira vez e passam o resto da noite fazendo sexo.


O julgamento da humanidade

O casal acorda cheios da fruta e observam imediatamente que estão despidos. Eles perderam sua inocência. Eles sugerem encobrir suas partes íntimas com folhas de figueira e depois chorar. Eles sentem raiva e ódio pela primeira vez. Adão diz a Eva que se ela tivesse ficado em casa, nada disso teria acontecido. Eva se defende dizendo que a Serpente os teria corrompido eventualmente. Eles passam o resto da manhã culpando um ao outro. Deus viu tudo isso. Milton, o poeta, diz que merecem cair porque tiveram o livre arbítrio para resistir à tentação, mas não o fizeram. A tristeza preenche o Céu e os Anjos que uma vez estiveram de guarda sobre o Paraíso retornam. Eles falharam. Deus diz a todos os anjos para não se sentirem triste, ele vai enviar seu filho para distribuir justiça em Adão e Eva. Ele diz que a Serpente que Satanás usou para se transformar é inocente. O filho de Deus entra no Paraíso. Adão e Eva estão se escondendo dele. A deidade grita para Adão e os dois parecem chorar. Adão diz que eles estavam se escondendo porque estavam assustados e também nus. O filho de Deus percebe isso e pergunta como eles sabem que estão nus, eles comeram da Árvore do Conhecimento? Adão admite que Eva trouxe o fruto e ele o comeu. O filho de Deus repreende Adão, dizendo-lhe que foi ele quem foi dado domínio sobre todos, não Eva. Ele se dirige a Eva, que admite suas ações. O filho de Deus amaldiçoa a Serpente (em contradição com a palavra de Deus) para andar sempre sobre a sua barriga. A punição é selecionada. Para Eva, o filho de Deus diz que o parto agora será muito doloroso e que ela agora deve se submeter ao marido. Para Adão, Ele diz a ele que o solo não será mais fértil como antes, fazendo seus trabalhos mais difíceis. Em seguida, ele faz para o casal algumas roupas e os vestem como um pai veste seus filhos. O filho de Deus retorna ao céu.


Inferno vitorioso

Na entrada do Inferno, Pecado se vira para a Morte e diz-lhe que ela sente um novo poder nela. Ela acredita que Lúcifer deve ter concluído sua tarefa. Sugere construir uma ponte do inferno à Terra caso seu pai não possa encontrar sua entrada traseira daquele mundo. A morte sente a presa fresca na terra, uma sensação nova estranha, como ele é um abutre que espera para saltar. Ambos entram no Caos e começam a empurrar a escuridão para longe. A Terra é agora sem cercas, sem porteiras, assim que não têm nenhum problema que conecta às paredes do universo. Eles vêem Lúcifer se aproximando da outra direção na forma de um Anjo. Ele tinha parado para ver as ramificações de suas ações. Pecado diz-lhe que ela pode sentir que ele conseguiu. Ele permitiu que o Pecado e a Morte fossem libertados do Inferno. Ela informa a Lúcifer que ele é agora o senhor da Terra. Lúcifer sente-se orgulhoso de sua filha e neto, dizendo-lhes que são dignos de fazer parte de sua raça satânica. Ele lhes diz para ir em frente para o Paraíso e começar a perturbar o lugar; Ele está voltando ao Inferno para informar os outros anjos caídos de sua vitória Lúcifer entra nas portas do Inferno, õse torna invisível e então entra nos salões de Pandemônio. Dentro vê alguns Anjos caídos discutindo e falando. Ele sobre até o seu trono, senta-se sobre ele, e se faz visível. Seus soldados estão surpresos, mas em êxtase ao ver seu líder. Ele diz a suas legiões que ele veio para levá-las ao novo mundo que ele conquistou. Ele conta a suas tropas o conto de sua jornada. Lúcifer espera ouvir aplausos e elogios, mas ao invés disso ouve sibilar. Ele de repente se encontra se transformando em uma Serpente. O resto dos Anjos estão se transformando também. É um castigo pelos seus crimes. As Serpentes deixam Pandemônio e todos os Anjos caídos que os vêem se tornam Serpentes. Um bosque de árvores de repente aparece com fruto que se assemelha ao da Árvore do Conhecimento. As serpentes comem o fruto, de repente tendo uma sede para ele. O fruto se transforma em cinzas em suas bocas e retomam suas formas originais. Alguns dos Anjos devem passar por essa mudança a cada ano a partir deste ponto.


Punição pelo Pecado Original

O pecado e a morte chegam ao paraíso e começam a causar estragos. Deus culpa Adão e diz que um dia seu filho removerá o pecado e a morte da Terra inteiramente. Deus fixa as estações e restabelece a órbita dos planetas 5 (a quantidade conhecida na época). Os animais no Paraíso já não se dão bem. Eles se matam uns aos outros por comida e fogem diante da humanidade. Adão testemunha isso e pede que Deus termine tudo agora. Seus filhos serão amaldiçoados para sempre. Ele diz a Deus que ele nunca pediu para ser criado, toda a sua progênie vai olhar para trás com raiva e desgosto. Ele pede para ser transformado em pó. Adão percebe que ele sabia os termos de sua existência desde o início. Ele pondera se ainda sentirá punição depois de morrer. Ele se pergunta o que é mesmo morrer. Adão eventualmente concorda que sua punição é justa e Eva caminha para confortá-lo. Ele a empurra para longe e a chama de Serpente. Ele diz a ela que era uma idéia estúpida criar uma mulher. Eva cai aos pés de Adão com medo. Ela pede que ele não a abandone. Ela quer que haja paz e amor entre eles. Adão diz para ela se levantar. Eles passaram a culpa em torno de suficiente neste momento. Eva diz a Adão que eles devem enganar a Morte por não ter filhos. Na verdade, ela diz, por que não apenas procurar a morte agora. Adão diz a ela que há uma razão pela qual Deus os manteve vivos. De que outra forma eles irão ferir Satanás se não tiverem filhos. Ele diz que ambos devem orar a Deus e regar o chão com lágrimas. O filho de Deus ouve suas orações e pede a seu pai para perdoar a humanidade. Deus concorda e diz a seu filho que eles ainda têm que deixar o Paraíso e sentir a picada da Morte. Ele diz a Miguel para descer à Terra e banir Adão e Eva do céu, mas de uma maneira agradável. Ele também deve contar-lhes sobre o futuro. Os humanos terminam de orar e Eva acredita que suas transgressões foram perdoadas. Eles acham que tudo está de volta ao normal. De repente, enquanto cultiva o paraíso, vê águias e leões que lutam pela rapina. Miguel aparece e eles reconhecem que ele é muito mais severo do que Rafael. Miguel diz ao casal que eles devem deixar o Paraíso. Adão e Eva são atingidos com imenso choque e ficam sentindo frio. Eva está muito chateada e Miguel diz a ela que perdeu o Paraíso de forma justa. É afortunado para ela que Adão escolheu não abandoná-la e comer o fruto próprio. Adão diz ao Anjo que ele entregou a mensagem com bastante calma e de repente se preocupa em deixar Deus para trás. Miguel o reassegura dizendo que Deus encherá a Terra inteira, ele sempre encontrará sinais da presença de Deus. Miguel diz a Adão que ele vai agora mostrar-lhe o futuro e coloca Eva para dormir. Ele levanta Adão acima e ao redor deles ambas as mudanças de cena.


Cain & Abel

Primeiro, Miguel mostra-lhe dois homens em um campo com sacrifícios. Um dos sacrifícios é rejeitado e o homem que pertence mata o outro homem. É a história de Caim e Abel. Adão fica chocado e pergunta se isso é o que é a morte. Miguel responde que é uma forma de morte, sim. Miguel mostra Adão a casa de Lázaro (tipo como um hospital) cheio de doenças e pessoas chorando por ajuda. A morte se recusa a tomá-los e vê-los sofrer. Adão lamenta que se esta é a morte, então qual é o ponto de vida. A cena muda novamente para algumas tendas com mulheres cantando e dançando em torno de um grupo de homens. Adão está feliz em vê-lo até que Miguel diz que estes são homens maus. Eles são descendentes de Caim, o assassino que ele acabou de ver, cheio de maldade e luxúria. Esta é uma cerimônia de casamento. Em seguida, Adão vê uma outra cena com uma cidade de luta, sede de sangue e guerra. Um homem se destaca pela justiça e pela paz, e uma nuvem o afasta. Adão não pode acreditar na matança e Miguel diz que eles são o resultado dos casamentos que ele acabou de ver. O homem que se recusa a lutar é levado ao Céu para desfrutar da vida eterna.


Noé

Em seguida, após a luta, não há nada além de luxúria e adultério. Um homem está vagando pela cidade implorando as pessoas para retornarem ao caminho certo. Os homens nas tendas não ouvem, então ele move sua própria tenda para longe da cidade. Uma vez fora da cidade, ele constrói uma Arca e enche-a com animais de todos os tipos. Ele tem três filhos e suas esposas se juntam à Arca antes que uma inundação gigantesca nivela o mundo inteiro. Adão chora e cai. É assim que a humanidade termina, ele pergunta. Miguel diz para Adão para continuar assistindo. Noé e sua família emergem da Arca após o dilúvio e vêem um arco-íris. Miguel diz a Adão que Deus nunca mais destruirá a raça da humanidade, até o momento da destruição da Terra. Adão sente alívio pela destruição de todos os seus filhos ímpios.


Moisés

Abraão deixará tudo o que conhece, ama e confia em Deus. Deus o leva à terra prometida e tem muitos descendentes. As crianças encontram seu caminho para o Egito, onde o faraó local temerá seus números e escravizá-los. Eventualmente, dois irmãos, Moisés e Aarão levarão essas pessoas de volta à terra prometida. Deus vai, com raiva, enviar 10 pragas para obter o Faraó para libertar o seu povo. Mesmo depois disso, o faraó os perseguirá. Moisés, imbuído do poder de Deus, parte o mar para que seu povo possa atravessar. O Faraó afoga-se tentando recuperá-los. Moisés então age como intermediário de Deus como Deus é muito poderoso para a compreensão humana. Ele passará um conjunto de leis através de Moisés para seu povo. Sobre estes conjunto de leis podem ser encontrados 10 mandamentos.


Nimrod e a torre de Babel

Miguel deixa Adão tomar fôlego antes de continuar. Ele continua informando o homem que haverá paz por um longo tempo, então Nimrod (Ninrode) aparecerá e decidirá construir um império. Adão observa como Nimrod usa o medo e a guerra para submeter tudo à sua vontade. Ele força sua nova força escrava a construir uma torre que rivalize com a do próprio Céu. A Torre de Babel. Deus fica irritado com isso e obriga toda a humanidade a falar línguas diferentes para que não possam mais entender-se. A humanidade torna-se fraturada. Adão diz que Nimrod deve estar louco, o homem não tem domínio sobre outros homens. Miguel aprova o sentimento de Adão e lhe diz que sua raça sucumbirá sempre à vontade dos tiranos devido ao pecado cometido por Eva. Deus acabará por se tornar tão doente do mal da humanidade que ele irá selecionar um grupo para ser dele e desconsiderar todos os outros.


Rei Salomão

Depois de se estabelecerem na terra prometida, haverá guerras entre o povo de Deus. Deus ordenará que homens específicos se tornem reis para seu povo. O segundo deles é Davi, um descendente direto de Abraão. Sua linha termina em Jesus, do qual o reinado de Jesus será infinito. Entre David e Jesus está Salomão. Salomão constrói um templo para abrigar a Arca contendo os 10 mandamentos transmitidos a Moisés. Salomão comete um grande erro e os israelitas, como eles são agora conhecidos, ficaram aprisionados pelos babilônios por 70 anos. Após a prisão, os israelitas permitirão que um estrangeiro romano se torne seu rei. Adão fica bastante feliz neste momento e pergunta a Miguel quando o eterno Jesus vai lutar com Satanás. Miguel diz que não será uma batalha no sentido tradicional.


Jesus

Miguel diz a Adão que o filho de Deus se tornará um homem chamado Jesus. Jesus morrerá uma morte terrível pelos pecados da humanidade e então ressuscitará dos mortos depois de três dias. Este ato irá ferir a cabeça de Satanás e esmagar seu poder na Terra. Depois disso, Jesus voltará um dia para julgar os vivos e os mortos. Adão está muito feliz e pergunta a Miguel o que acontecerá aos discípulos de Jesus. Miguel responde que eles serão perseguidos por sua crença, mas que Jesus lhes dará coragem na forma do espírito de Deus. Miguel diz que o futuro dos filhos de Deus será muito complicado até o retorno de Jesus. As pessoas más vão fingir ser boas pessoas e vice-versa.


Banimento do Paraíso

Adão afirma que ele entende inteiramente que obedecer a Deus é o melhor. Miguel responde a ele que é hora de deixar o Paraíso. Ele desperta Eva, a quem foram dados sonhos agradáveis. Eva diz a Adão que ela sabe que a boa vontade um dia virá do seu erro. Os pares são escoltados abaixo as montanhas abaixo pelo anjo e são deixados então sozinho. Eles olham de volta para o Paraíso e vêem uma espada flamejante obscurecendo sua visão. Eles derramam lágrimas enquanto eles fazem o seu caminho em diante. Com isso, o conto de Milton termina.