Brigantia - A Elevada

08/06/2018

Brigantia é uma Deusa celta (galo-romano e romano-britânico) soberana da terra sagrada. Sua história a conecta à Brigit da mitologia irlandesa e por isso muitos a vêem como só mais um nome dado a Deusa mas há distinções entre as duas. Mesmo assim Brigantia está intimamente relacionada a Brigit como Deusa da Terra. A história do manto de Brigit mostra que ela é soberana de sua terra. Brigit e sua comunidade vivem em harmonia com a terra, levando apenas o quanto precisam para viver. Na estação de Verão, Brigantia garante a mesma harmonia e equilíbrio na Terra. Os fios de seu manto, conectando todas as coisas na Teia da Vida, agora estão cheios de poder e são vibrantemente verdes. Nós temos que aprender a pisar cuidadosamente em seu corpo, e tratar seu manto com respeito, se quisermos viver.

Brigantia é a alegria no início do verão. Ela é o pleno florescimento da Terra. Nela, todas as coisas são mantidas em seu devido equilíbrio: todos os elementos se combinam para criar o clímax do ano de crescimento e fertilidade. Sob seu governo, toda a vida se deleita com sua criatividade. Todos os seres vivos se envolvem em uma dança alegre da procriação. Brigantia segura todas essas coisas em seus braços protetores. Ela dá a vitória, é uma curandeira e, possivelmente, uma Deusa celestial também.

Etimologia

A raiz de seu nome "breg" significa "alto, eminente, elevado". E muitas vezes era usado como um epíteto à outras deidades simplesmente significando "a/o alta(o)" ou "a/o elevada(o)". A mesma palavra é encontrada no alemão Burgundi, em sânscrito e em Avéstica (língua iraniana oriental), ambos os adjetivos femininos que significam "alta".

Culto

Naquela época, no norte da Inglaterra, havia uma tribo celta denominada Brigantes que pode ser traduzido como "os altos", "os nobres" ou "highlanders" que veio a significar "escoceses" e honravam esta Deusa. Brigantia personificou sua terra e sua nação. Ela representava a Soberania da Terra, e qualquer governante masculino era simbolicamente casado com ela.

O atual rio Barrow, antes chamado de Birgu em Ptolomeu e encontrado em território Brigantes da Irlanda, recebeu este nome em homenagem à Deusa, assim como o rio Brent, um afluente do Tamisa, em Brentford.

Registros Arqueológicos

Nenhuma história sobre Brigantia sobreviveu. O pouco que sabe dessa Deusa é devido a 7 inscrições a respeito dela, todas na Grã-Bretanha. Brigantia é assimilada a Deusa Vitória em duas inscrições, uma de Castleford e outra em Greetland perto de Halifax, ambas no condado inglês de Yorkshire. Em Corbridge, na Muralha de Adriano, Brigantia recebe o epíteto "Caelestis" ("celestial, celeste, divina") e é posta ao lado do Deus Júpiter na sua face Dolichenus. Há uma inscrição em Irthington, também em Yorkshire que descreve a Deusa como uma "ninfa divina Brigantia".

Estudos numismáticos da escrita ibérica encontraram um "BRIGANT_N" inscrito em uma moeda celta da península Ibérica, sugerindo que ela seja uma Deusa dessa região.

No forte romano Blatobulgium, Birrens na Escócia, os arqueólogos encontraram uma pedra com baixo-relevo, da era romana, de uma figura feminina que está coroada como uma divindade tutelar, tem uma cabeça de Górgona no peito, e segura uma lança e um globo da vitória como as Deusas romanas Vitoria e Minerva. Mas sua inscrição a identifica como Brigantia em vez de Minerva. Uma estátua encontrada na Bretanha também parece representar Brigantia com os atributos de Minerva.

Epítetos:

  • Dea Brigantia
  • Brigantia Augusta
  • Brigantia Caelestis
  • Victoria Brigantia

Deusas com aspectos semelhantes:

  • Mitologia Celta: Brigit
  • Mitologia Fenícia: Tanit
  • Mitologia Grega: Hemera, Niké e Tyche
  • Mitologia Romana: Vitória, Fortuna e Minerva

Fontes: Dezmilnomes, Celtic Life

Imagem - Legend of the Cryptids