As versões originais (e macabras) dos contos de fadas

28/07/2018

Os contos de fadas tiveram origem e se popularizaram em vilarejos medievais da Alemanha, França e Polônia. Muito tempo depois, os mesmo foram adaptados pelos Irmãos Grimm e, posteriormente por Walt Disney. As adaptações foram feitas para as crianças devido as versões iniciais serem pesadas demais. De estupro e mutilação até canibalismo e suicídio, as versões originais (e macabras) dos contos de fadas eram um modo bem bizarro de ensinar as crianças. 


1. Chapeuzinho Vermelho canibal


Na história como a conhecemos, Chapeuzinho Vermelho é uma doce e inocente menininha que traja um capuz de cor vermelha e se depara com um lobo mau na floresta, no caminho para a casa da sua avó. O lobo chega primeiro, devora a avó e espera por Chapeuzinho. Mas a garota chega no seu destino acompanhada de um lenhador, que mata o lobo e salva a avó, deixando todos felizes. O conto original é um pouco mais macabro.

Segundo a versão primitiva da história, ao chegar na casa da vovó o lobo mata a velhinha e fatia seu corpo, engarrafa seu sangue e faz 'gulosos' manjares com sua carne. Quando Chapeuzinho finalmente chega, o lobo (disfarçado) oferece a chapeuzinho vinho (que na verdade era o sangue da vovó) e bolinhos (a carne). A menina come e bebe tudo sem reclamar e desconfiar de nada.

Logo depois, o lobo (com segundas intenções) manda que Chapeuzinho arranque suas roupas e se deite nua na cama. A menina, já muito desconfiada a essa altura, inventa a desculpa que precisa urinar do lado de fora da casa (que era onde ficava o banheiro) e consegue fugir.


2. A Bela Adormecida que foi estuprada

Uma bela e jovem princesa que foi amaldiçoada por uma bruxa má a dormir sempre, até ser despertada pelo beijo do amor verdadeiro. A Bela Adormecida é uma história que sempre encantou gerações, mas a história original de encantadora não tem nada.

No conto primitivo, a princesa espeta o dedo acidentalmente num espinho venenoso (e não numa roca, como na versão moderna) e cai num sono profundo que não termina. Um jovem rei a encontra desfalecida, e ao perceber que ela não acordava sob nenhum estímulo, ele decide aproveitar-se sexualmente da adormecida. Nove meses depois, a Bela Adormecida dá à luz a gêmeos, mas continua a dormir profundamente. Um dos bebês, ao procurar o peito para mamar, acaba 'chupando' o espinho do dedo da mãe, fazendo-a sair de seu longo sono.

A notícia do despertar da princesa logo chega ao rei que a estuprou, e a rainha sua esposa também fica sabendo. Ao tentar matar a Bela Adormecida (agora já acordada), a rainha é impedida e abandonada pelo rei, que vai ao encontro de sua jovem vítima e a força a se casar com ele.


3. A Rapunzel rebelde

Assim como no conto que conhecemos, Rapunzel é uma bela e inocente jovem de longuíssimas madeixas que é trancafiada numa torre por uma bruxa malévola. A versão inicial mostra uma Rapunzel um pouco mais "vida loka".

Nessa outra versão, os longos cabelos de Rapunzel têm propriedades mágicas que a permitem sair da torre onde foi trancada quando quiser. Em suas "fugidinhas" noturnas, Rapunzel se deita com vários rapazes para se divertir, e numa dessas saídas, ela acaba sendo engravidada por um jovem príncipe.

A "cabeluda" tenta esconder sua gravidez até onde pôde, mas ao descobrir a 'infração' a bruxa má corta suas longas madeixas mágicas e tenta matar o príncipe maroto que a engravidou, empurrando-o da torre. Mas como os cabelos de Rapunzel não eram nada normais, eles crescem instantaneamente a tempo de salvar o príncipe da queda. O casal então mata a bruxa brutalmente, vivendo felizes para sempre.


4. A Pequena Sereia suicida

A história moderna conta como um linda sereia se apaixona por um príncipe e faz um acordo com uma bruxa do mar, oferecendo sua bela voz em troca de pernas humanas para poder ficar junto de seu amado. Após várias reviravoltas e surpresas, o casal tem um final feliz para sempre.

Já na história originalmente contada, os acontecimentos se assemelham em alguns pontos e diferem muito, muito mesmo em outros. A sereia e o príncipe após se conhecerem e se apaixonarem, trocam juras de amor eterno, o que motiva a moça-peixe a fazer o pacto com a bruxa.

Acordo feito, a sereia (agora uma humana sem voz) sobe para a superfície com a intenção de se casar com seu amado príncipe e viver para sempre ao seu lado. Entretanto, o príncipe seguindo a linha do "amor livre", acaba se apaixonando por outra bela jovem, preferindo esta e esquecendo-se da ex-sereia.

A moça fica tão deprimida e melancólica ao perceber que fez tamanho sacrifício para depois ser simplesmente trocada, que decide dar um fim a sua vida. Num ímpeto de tristeza, a pequena sereia atira-se de um penhasco para o mar de uma grande altura, morrendo lá embaixo.

                                                                                                                                                                              Parte 2 em breve

Fontes: Fatos Desconhecidos, Wattpad