Ahura Mazda - O Senhor da Luz

22/01/2020

Ahura Mazda, Ormasde, ou Ormuz era o princípio ou deus do bem, segundo o zoroastrismo e a mitologia persa. Vivia em luta constante contra seu irmão gêmeo, o princípio ou deus do mal conhecido como Arimã. Ambos eram filhos do primeiro deus criador, Zurvan (o tempo). Arimã, como filho primogênito, era mais poderoso que Ahura-Mazda e teria um reinado de mil anos. Porém, após esse período, ele seria derrotado por Ahura-Mazda.

Ahura-Mazda também era o deus do céu, da sabedoria, da abundância e da fertilidade. Podia profetizar. Era defendido por um grupo de espíritos chamados de Amshaspends. Era pai de Atar, o fogo do céu; de Gayomart, o primeiro ser humano mortal (o primeiro ser humano, segundo a mitologia persa, havia sido Yima, que era imortal), criado a partir da luz e que teria dado origem a todos os demais seres humanos; e de Mitra, deus da sabedoria, da guerra e do sol.

Ahura Mazda é um deus sábio e tolerante que dá aos homens a liberdade de escolher entre o bem e o mal, embora se diga que a terra seja mais feliz quando um dos fieis está no comando. A história do mundo éssa história da batalha entre o Pensamento Santo (Spenta Mainvu) de Ahura Mazda e o Pensamento Perverso de Ahriman. O primeiro por fim vencerá com a ajuda do salvador Saoshyant (ou Soshans), que nascerá de uma virgem fecundada pelo esperma miraculosamente preservado do profeta Zoroastro (Zaratustra). Os ensinamentos de Ahura Mazda foram passados diretamente a Zoroastro e conservados em um relicário de 17 hinos conhecidos como Gathas. Dizem que Zoroastro foi a única criança que riu ao nascer, em vez. de chorar.


Origens do mito

Era um dos deuses existentes na cultura indo-iraniana, pré-zoroastriana, politeísta, com muitas semelhanças à Índia Védica, dado que as populações que habitavam tanto o atual Irã quanto a atual Índia descendiam de um mesmo povo, os arianos (ou indo-iranianos). À época em que Zaratustra (em grego, "Zoroastro") nasceu, no século VII a.C., os seres espirituais naquela sociedade enquadravam-se em duas classes, ambas de características distintas: os ahuras e os daivas (em sânscrito: deivas, "deuses").

Antes de desaguar no que viria a ser o zoroastrismo, aquela religião politeísta parte para um dualismo. Os ahuras ou asuras passam a ser vistos como seres que escolheram o bem e os daivas, o mal. Na Índia, o percurso seria o inverso. Zaratustra, segundo uma visão que ele teve, eleva Ahura Mazda ("Senhor Sábio") ao estatuto de divindade suprema, após Vohu Mano, a "Boa Mente", aparecer para ele e revelar-lhe que Ahura Mazda era o deus supremo que tudo governava. Dessa divindade suprema, teriam emanado seis espíritos: os Amesas Spenta ("Imortais Sagrados"), que auxiliam Aúra-Masda na realização de seus desígnios. Eram eles: Vohu-Mano ("Espírito do Bem"); Asa-Vahista ("Retidão Suprema"); Khsathra Varya ("Governo Ideal"); Spenta Armaiti ("Piedade Sagrada"); Haurvatat ("Perfeição") e Ameretat ("Imortalidade").

Juntos, Aúra-Masda e esses entes travam luta permanente contra o princípio do mal, Angra Mainyu (ou 

Fontes: Templo de Apolo, wikipedia