Ah Puch - O Deus da Morte e Rei do Metnal

09/06/2018

Ah Puch, O Descarnado, é um dos soturnos governantes do Xibalba, o inferno maia. Associado àmorte, à noite, à guerra e aos sacrifícios, era o responsável pelo Mitnal, o último nível do submundo, o mais profundo e desagradável. Era também chamado de Kisín (o flatulento), Hun Ahau (morte única), Yum Kimil(senhor morte) e Vucub Camé (sete mortes).

Muito temido pelos maias, dizia-se que Ah Puch escondia-se de modo assustador na casa dos mortos e moribundos, pronto para levar suas almas, como um ceifador. Acreditava-se que a única maneira de escapar de suas atenções era gritando e gemendo de uma forma bem convincente para que o deus acreditasse que o moribundo já estivesse recebendo alguma punição de seus demônios menores. Assim, ele sairia triste por não levar uma alma, porém feliz de saber que a tortura estava sendo realizada.

Muan, era sua coruja-mensageira que levava as más notícias à humanidade. Até hoje persiste a lenda que, quando uma coruja pia, alguém próximo morre. Se você a ouvir, respire fundo e conte até dez. Aliás, Ah Puch é patrono do número dez. Também era visto com cachorros e morcegos.

Cânone

"Ah Puch é o deus da morte, trevas e desastre do panteão Maia. Ele é o lorde do nono nível do inferno, o mais profundo e terrível de todos eles, e o rei do submundo.

Sepultados sob a terra estão os vários níveis do inferno, onde almas amaldiçoadas sofrem os mais cruéis tormentos. As camadas superiores são reinos de tortura e barbaridades, lar de seres dominados pela malícia. Se seguir em frente, nas cavidades mais escuras e inferiores, encontrará o nono nível do inferno. Lá habita uma divindade nascida do mal, que se deleita com cadáveres recém-adquiridos com uma alegria macabra, já antecipando o momento em que mais almas renegadas serão suas. Ele é Ah Puch, o poderoso Deus da Decadência.

Quando a noite cai, Ah Puch vaga pela terra, com sua coroa de olhos humanos e sua horrível face descoberta para que todos possam vê-lo, acompanhado pelos gritos agudos de corujas fantasmagóricas. Todos os que vivem estão a seu dispor. Se Ah Puch encontra um humano em seu caminho, ele o mata e arrasta-o para a escuridão eterna. Apenas aqueles que já estão gritando de agonia e desespero nas mãos dos servos de Ah Puch estão livres dele.

Curiosidades 

Ah Puch é a antítese de Itzamna, o complemento das forças da vida que harmonizavam o dinamismo cósmico. É identificado com o Mictlantecuhtli dos astecas, enquanto o Mitnal parece nos trazer uma representação de inferno próximo ao que Dante Alighieri criou na Divina Comédia, com nove círculos, sendo o nono o mais profundo.

Fontes : Mitographos, Deuses Antigos Maias