Aquiles - O Guerreiro Imortal

10/06/2018

Nascido como filho de Tétis e Peleu, rei dos mirmidões, Aquiles nasceu como uma lenda, pois diziam algumas profecias que o filho de tal mulher seria um homem de grande poder e importância. Sabendo de todos os perigos que ele acabaria passando em sua vida, sua mãe Tétis quis torná-lo em um imortal, para isso o levou até o rio Estige, um dos que banha o inferno de Hades. Mas para banha-lo em tal água a mulher teve que segura-lo pelos calcanhares, dessa maneira dizem que seu corpo se tornou impenetrável, mas a única parte que não foi banhada pelas águas era vulnerável e mortal.


A Vida de Aquiles 

Ainda muito jovem Aquiles foi enviado ao monte Pélion, sob os cuidados do centauro chamado Quíron, onde ele estudaria, aprenderia a lutar, caçar e todas as outras coisas que um bom cidadão precisava saber naquele tempo.

Sua vida começou a mudar quando Calcas, uma pessoa que conseguia ver o futuro, declarou que Aquiles era arma indispensável para a tomada de Tróia. Temendo a morte de seu filho, Tétis o disfarçou de mulher e enviou o garoto para rei Licomedes, onde viveria com as filhas dele e receberia educação.

Pouco tempo depois, Odisseu foi enviado a morada do rei Licomedes para trazer de volta o menino que era a esperança do povo. Com informações de Calcas, o vidente, foi descoberto o golpe de Tétis, que havia escondido Aquiles no meio das meninas. Para descobrir quem era ele no meio de todas, Odisseu se disfarçou de mercador de joias e foi até o quarto das garotas, no meio de todo o ouro e pedras havia um escudo e uma espada. Na hora em que todas as filhas do rei admiravam as joias, uma trombeta de guerra foi tocada, nesse momento Aquiles esqueceu seu disfarce e o instinto fez com que pegasse as armas, dessa maneira foi descoberto e levado de volta a sua terra.

Quando voltou a casa, Aquiles não quis ouvir sua mãe, pois seu sangue clamava pela guerra e pediu ao seu pai o comando de um exército, pois ele queria ir ao campo de batalha, mesmo sabendo das profecias que falavam que morreria na luta por glória e vingança. Assim seu desejo foi cumprido e ele partiu no comando de 50 navios.

Aquiles lutou em diversas frentes em lugares diferentes, mas a batalha que marcou sua vida foi a Guerra de Tróia, mas o início não foi nada bom para o herói, que abandonou a luta por se sentir traído por Agamemnon, assim sem o poder da espada de Aquiles os gregos começaram a serem derrotados. Mesmo assim ele não voltou atrás e apenas assistiu a tudo.

Mesmo implorando por sua volta Aquiles negava-se a lutar, mas pediu ajuda aos deuses, pois não queria que seu povo sucumbisse. Rapidamente a batalha teve uma reviravolta e usando a armadura de Aquiles, Pátroclo, que era seu melhor e mais querido amigo, comandou o exército, mas a sorte não estava ao seu lado e ele morreu em batalha, deixando Aquiles furioso e querendo vingar-se contra Heitor, que matou seu amigo.

Por esse motivo Aquiles retornou às batalhas, pronto para destruir a todos. Dizem que durante uma das lutas ele matou tantos inimigos que um rio parou de correr por causa de tantos corpos. Esse motivo fez o Deus dos Rios vir até a Terra e desafiou Aquiles, que não se deu conta de estar lutando com um deus, assim ele quase foi morto, mas Zeus veio lhe salvar antes que o pior acontecesse.

Com Aquiles salvo da ira dos deuses, ele voltou para sua luta matando todos que via, até que encontrou Heitor e por três vezes os dois correram em volta da cidade de Tróia, até que com a ajuda de Atena, Aquiles teve a oportunidade de vingar a morte de Pátroclo. Os dois lutaram ferozmente, como grandes guerreiros devem fazer, mas a fúria de Aquiles era grande demais e Heitor foi derrotado.

Com sua vingança atingida Aquiles largou as lutas novamente, vivendo tranquilamente e tendo como seu novo grande amigo Antílope, que foi morto por Mêmnon, o poderoso rei da Etiópia. Isso trouxe toda a fúria a Aquiles novamente, que voltou às batalhas, mesmo sabendo que isso poderia ser sua ruína.

Na batalha Aquiles abriu o exército inimigo ao meio apenas com sua espada e seu escudo, matando todos sem pensar, até que ele chegou a fileira do rei, rapidamente todos os guardas da elite vieram a baixo, pois não havia espada pareô a de Aquiles em fúria. Mêmnon não resistiu e também caiu aos pés do grande guerreiro e na hora em que desferiu o golpe de misericórdia, o filho do Rei morto, conhecido como Páris, lançou uma flecha, que dizem ter sido guiado por Apollo, e aquela flecha acertou o calcanhar de Aquiles, o único lugar em que ele era vulnerável.

Assim todo seu poder e fúria sumiram e a vida deixou o corpo. As profecias se cumpriram, pois Aquiles morreu levado por sua fúria ao campo de batalha, um guerreiro sem igual.


Origem dos poderes

Quando Aquiles ainda era criança, sua mãe o mergulhou no rio Estige, um dos que banham o inferno, para que ele fosse imortal e ficasse invulnerável . Porem no momento da imersão ela segurava seu calcanhar e, por esse motivo, essa parte não recebeu a "benção" do rio Estige, deixando Aquiles vulnerável nesse local..


Aquiles na  literatura romana e medieval

Os romanos, que tradicionalmente traçaram sua linhagem até Tróia, adotaram uma visão altamente negativa de Aquiles.  Virgílio refere-se a Aquiles como um carniceiro selvagem e impiedoso de homens, enquanto Horácio retrata Aquiles matando impiedosamente mulheres e crianças. Outros escritores, como Catulo , Propertius , e Ovídio , representam uma segunda vertente de depreciação, com ênfase na carreira erótica de Aquiles. Esta vertente continua em relatos latinos da Guerra de Tróia por escritores como Dictys Cretensis e Dares Phrygius e em Roman de Troie, de Benoît de Sainte-Maure .e Guido delle Colonne 's Historia destructionis Troiae , que se manteve as versões mais lidos e recontada da Matéria de Tróia até o século 17.


Aquiles na tragédia grega


O trágico grego Ésquilo escreveu uma trilogia de peças sobre Aquiles, dado o título de Achilleis por estudiosos modernos. As tragédias relatam as ações de Aquiles durante a Guerra de Tróia, incluindo sua derrota de Heitor e eventual morte, quando uma flecha disparada por Paris e guiada por Apolo perfura seu calcanhar. Fragmentos existentes dos Achilleis e outros fragmentos de Aeschylean foram montados para produzir uma peça moderna viável. A primeira parte da trilogia Achilleis, The Myrmidonsenfocou a relação entre Aquiles e coro, que representam o exército aqueiano e tentam convencer Aquiles a desistir de sua disputa com Agamenon; apenas algumas linhas sobrevivem hoje. No Simpósio de Platão, Fedro mostra que Ésquilo retratou Aquiles como o amante e Pátroclo como o amado; Phaedrus argumenta que isso é incorreto porque Aquiles, sendo o mais jovem e mais bonito dos dois, era o amado, que amava tanto seu amante que ele escolheu morrer para vingá-lo. 


Adoração e culto heróico

O túmulo de Aquiles, existente em toda a antiguidade em Troad , era venerado pelos tessilenos , mas também pelas forças expedicionárias persas , assim como por Alexandre, o Grande, e pelo imperador romano Caracala. O culto de Aquiles também foi encontrado em outros lugares, por exemplo, na ilha de Astypalaea nas Espórades , em Esparta, que tinha um santuário, em Elis e na terra natal de Aquiles, Tessália , bem como na Magna Gréciacidades de Tarentum , Locri e Croton,  representando um culto quase pan-helênico ao herói.

A disseminação e intensidade da veneração do herói entre os gregos que se instalaram na costa norte do Ponto Euxino , hoje o Mar Negro, parece ter sido notável. Um culto arcaico é atestado para a colônia mileniana de Olbia , bem como para uma ilha no meio do Mar Negro, hoje identificada com a Ilha das Cobras ( Ucrânia Зміїний, Zmiinyi , perto de Kiliya , Ucrânia ). Primeiras inscrições dedicatórias das colônias gregas no Mar Negro ( graffitie discos de argila inscritos, sendo estes possivelmente oferendas votivas , de Olbia, a área da Ilha de Berezan e os Chersoneses Táuricos atestam a existência de um culto heróico de Aquiles a partir do século VI aC. O culto ainda prosperava no século III dC, quando as estelas dedicatórias de Olbia se referem a um Aquiles Pontárch (Ποντάρχης, aproximadamente "senhor do mar" ou "do ponto Euxino "), que foi invocado como protetor da cidade. de Olbia, venerado a par com deuses do Olimpo, como o local Apollo Prostates, Hermes Agoraeus, ou Poseidon. 


Curiosidades

  • Considerado um dos maiores guerreiros mitológicos da Grécia Antiga, Aquiles participou de várias batalhas, entretanto, a mais importante foi a Guerra de Troia.


    Até os dias atuais, a expressão "calcanhar de Aquiles" é utilizada para indicar o ponto fraco de alguém. Na biologia, o tendão de Aquiles (tendão de calcâneo) está localizado nos calcanhares. É o mais resistente e o mais vulnerável do nosso corpo.


    Na obra "Ilíada" do poeta grego Homero, ele narra a Guerra de Troia onde uma das figuras principais é o guerreiro Aquiles. Além dela, Aquiles também faz parte da obra "Odisseia".





Fontes : Mini Lua, Toda Matéria, Mitologia Online, Wikipedia, Mythology & Culture